Afogamento

Irmão do ex-governador Rollemberg salva criança de afogamento em Aracaju

Menino estava no mar com o tio, que não resistiu. Criança foi salva e passa bem

Luana Patriolino
postado em 15/01/2021 21:54
 (crédito: Cleverton Ribeiro/MTur - 15/3/18)
(crédito: Cleverton Ribeiro/MTur - 15/3/18)

O irmão do ex-governador de Brasília Rodrigo Rollemberg salvou uma criança de um afogamento em uma praia de Aracaju (SE), nesta quinta-feira (15/1). De acordo com testemunhas, o aposentado Eduardo Rollemberg, 64 anos, pegou uma prancha de bodyboard para resgatar um garoto, de 7 anos, que entrou no mar com o tio. O menino foi salvo e passa bem, mas o tio não resistiu e morreu.

Eduardo Rollemberg conta o estado em que encontrou o garoto. “Ele estava apavorado. Me disse que era muito jovem para morrer e eu disse que também sou novo”, relembra.

“Estávamos sentados em uma barraca quando vimos a movimentação. As pessoas começaram a se aproximar e soubemos que os dois estavam se afogando. Quando percebi, quem estava tentando salvar era o Eduardo. Fiquei apavorado”, conta o advogado Guto Rollemberg, 53 anos, irmão de Eduardo.

Ele relata que outra pessoa tentou fazer o resgate antes, mas desistiu. “Tinha um rapaz antes tentando salvá-los com uma prancha de bodyboard. Mas ele não conseguiu, e aí o Eduardo pegou a prancha dele para fazer o resgate”, afirma.

Depois de salvar o garoto, eles encontraram outro problema: já estavam muito distantes da superfície. A solução foi fazer uma corrente humana até chegar mais perto da areia. “Mais ou menos umas 50 pessoas deram as mãos até encostarmos na prancha”, diz.

Eduardo ficou de 20 a 30 minutos na água para salvar o garoto. “O menino saiu do mar muito fraco, debilitado e muito cansado. Ficou muito tempo deitado na areia e teve que ser socorrido pelos bombeiros. Mas, felizmente, se salvou”, diz Eduardo Rollemberg.

O tio do garoto não resistiu. “Fizeram boca a boca no rapaz, tinham alguns médicos lá, mas ele não aguentou”, conta a esposa de Eduardo, Maria Aparecida Vidal Rollemberg, 56, servidora pública.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE