Sustentabilidade

Usina de geração de energia será construída na UnB do Gama

Contrato para realização da obra na instituição foi assinado nessa sexta-feira (22/1). Objetivo da universidade é se tornar autossuficiente em termos energéticos

Correio Braziliense
postado em 23/01/2021 21:32
 (crédito: Davi Sued Pontes/FCE)
(crédito: Davi Sued Pontes/FCE)

O campus do Gama da Universidade de Brasília (FGA/UnB) vai ganhar quatro usinas de geração de energia sustentável. Com o contrato assinado nessa sexta-feira (22/1), o campus terá uma planta solar fotovoltaica, que deve gerar uma economia de R$ 282,6 mil anuais, tornando-se, assim, autossuficiente em termos energéticos.

"Quando assinamos um contrato ou inauguramos uma obra, estamos melhorando a infraestrutura da Universidade e, assim, dando melhores condições para o ensino, a pesquisa e a extensão", celebrou a reitora Márcia Abrahão. "O Gama é um campus jovem, que sofreu com problemas de espaço e poeira por um bom tempo. Mas, agora, com o estacionamento, novos prédios e as obras sustentáveis, a comunidade tem plenas condições de avançar ainda mais, inclusive, na pós-graduação", acrescentou.

A obra prevê a instalação de placas solares fotovoltaicas para geração de energia solar na Unidade de Ensino e Docência (UED) do campus. A usina deve gerar 175.641 quilowatts por ano, com uma economia anual média estimada em quase R$ 92 mil. "Além de esta cerimônia marcar a assinatura de um contrato, simboliza também a parceria da FGA com a Reitoria e a Secretaria de Infraestrutura da UnB", disse o diretor do campus, Sandro Haddad. "Este projeto, embora esteja sendo colocado em prática aqui, pode ser levado a vários outros prédios da Universidade", frisou.

A obra foi orçada em R$ 753,8 mil, mas a licitação, realizada por meio do Regime Diferenciado de Contratação (RDC), permitiu que a contratação fosse feita com 34,6% de desconto, por R$ 493 mil. Os recursos foram repassados pela Secretaria de Educação Superior do Ministério da Educação (Sesu/MEC) especialmente para projetos focados em eficiência energética.

"Estamos também trabalhando com o máximo de eficiência administrativa. O RDC nos possibilita fazer investimentos a um custo muito menor e, com isso, a administração consegue realizar mais obras", destacou a secretária de Infraestrutura, Helena Zanella. O prazo de execução da obra é de quatro meses.

Futuro

Com a instalação das placas solares no UED do Gama, o campus terá um total de quatro usinas de minigeração de energia. A primeira delas, construída também com recursos da Universidade, com o apoio técnico de professores e estudantes do Gama, foi inaugurada em 2019. As outras duas fazem parte do Programa de Eficiência Energética (PEE) da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), assinado em parceria com a Companhia Energética de Brasília (CEB).

"Com todas essas iniciativas, também conseguimos trocar as lâmpadas e os refletores por modelos mais eficientes. O Gama está bem iluminado e seguro. A geração de energia distribuída faz sentido para todas as instituições, mas adquire um sentido ainda mais especial dentro de um campus de engenharias", observou a professora Loana Velasco, coordenadora do PEE e que foi responsável pelos primeiros projetos de placas solares da UnB.

O projeto para a instalação das plantas no UED, que pode ser usado para o mesmo tipo de obra em outros campus, foi coordenado pelo professor Alex Reis. Na cerimônia, ele contou que os estudos iniciais foram feitos por uma estudante de graduação, destacando a importância pedagógica da iniciativa. "Estamos vendo o envolvimento crescente dos alunos. Já temos outros trabalhando com aspectos como a manutenção e a análise de desempenho do sistemas fotovoltaicos", detalhou.

"Isso faz parte de uma mudança de cultura institucional, pois estamos usando nossa competência técnica e acadêmica para promover melhorias na própria Universidade", completou a reitora. "Temos tantos pensadores, pessoas que formulam projetos excelentes. Com essa integração, damos a oportunidade de os estudantes vivenciarem a realidade da Universidade."

Com informações de Secom UnB

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE