Meio Ambiente

Projeto Produtor de Água, da Adasa, conquista 2º lugar em concurso internacional

O projeto do DF promove o reflorestamento de áreas degradadas e proteção de nascentes. A iniciativa concorreu no 'Water ChangeMaker Awards' (Produtores de Mudanças em Relação à Água) com 340 iniciativas de 80 países

Correio Braziliense
postado em 26/01/2021 09:27 / atualizado em 27/01/2021 11:33
 (crédito: Acácio Pinheiro/Agência Brasília)
(crédito: Acácio Pinheiro/Agência Brasília)

Após ficar entre os 12 finalistas do concurso internacional "Water ChangeMaker Awards" (Produtores de Mudanças em Relação à Água), promovido pela Global Water Partnership (GWP), o projeto Produtor de Água conquistou o segundo lugar na competição, derrotando 340 projetos de 80 países concorrentes. A iniciativa é coordenada pela Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa) com a Embrapa.

A premiação reconhece propostas em todo o mundo voltadas para a melhoria de condições socioambientais relacionadas à água, e foi lançado em abril do ano passado como uma maneira de condecorar as políticas públicas voltadas ao uso racional de recursos hídricos. A escolha dos vencedores se deu a partir da análise de um corpo técnico e também do voto popular.

O projeto

A metodologia do Programa Produtor de Água, concebido pela Agência Nacional de Águas (ANA) em 2001, foi implantada na bacia do Pipiripau em 2011, após um período de tratativas iniciadas pela Adasa e assinatura de acordo de cooperação firmado entre a Adasa, ANA e instituições públicas e privadas parceiras do projeto.

Entre as instituições participantes, estão a Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb), a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do DF (Emater), o Instituto Brasília Ambiental (Ibram), a Secretaria da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura (Seagri), a Secretaria de Meio Ambiente (Sema), o Departamento de Estrada e Rodagem (DER), o Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco), a Universidade de Brasília (UnB), Banco do Brasil, Fundação Banco do Brasil, Rede Sementes do Cerrado, Pede Planta TNC e WWF-Brasil.

Atualmente, 200 produtores rurais da região e são estimulados por meio do Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) pelas práticas de conservação de solo e água adotadas em suas propriedades. A bacia ainda abastece outras 200 mil moradores em Planaltina e Sobradinho.

A iniciativa ainda promove o reflorestamento de áreas degradadas, o cercamento de nascentes e Áreas de Preservação Permanente, adequação de estradas rurais, conservação do solo e controle de erosão e a melhoria da infiltração da água e da sua quantidade e qualidade em nascentes e cursos d´água.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE