CLIMA

E haja água: Inmet prevê fim de semana chuvoso no Distrito Federal

A chuva não dará trégua nos próximos dias, de acordo com o Inmet. Até ontem, Brasília havia registrado 399,2 milímetros de volume de precipitação, 118% do esperado para todo o mês. De acordo com a Defesa Civil, DF tem 41 áreas de risco em 19 regiões

» Larissa Passos
postado em 20/02/2021 06:00
 (crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)
(crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)

O fim de semana no Distrito Federal será, mais uma vez, de chuva. O céu encoberto e as tempestades em áreas isoladas permanecem até o início da próxima semana, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Hoje e amanhã, os termômetros devem registrar mínima de 18ºC e máxima de 28ºC, com umidade relativa do ar variando de 50% a 95%.

Até a manhã de ontem, Brasília havia registrado 399,2 milímetros de volume de chuva, o que vale a 118% do esperado para todo o mês. “Já choveu na capital 216,2 milímetros a mais do que o esperado, mais que o dobro”, afirma o meteorologista Olivio Bahia. A previsão é de que o período chuvoso se estenda até abril. “Mesmo que a chuva passe e dê uma trégua, a gente ainda tem março e parte de abril com chuva”, esclarece Bahia. Ele explica que a instabilidade provocada pelo calor e o excesso de umidade, que estão acontecendo atualmente, favorecem a formação de tempestades.

O Inmet emitiu alerta laranja, nos últimos dias, sinalizando perigo para chuvas intensas. A Defesa Civil mapeou 41 áreas de risco em 19 regiões administrativas do DF. Estes locais apresentam residências em áreas com declives acentuados; proximidade a córregos e demais cursos d’água; ausência ou precariedade de sistemas de drenagem de águas pluviais; falta de saneamento básico; fragilidades construtivas das edificações; invasões ou ocupações em áreas de proteção ambiental; e acúmulo de resíduos sólidos (entulho e restos de obras).

As áreas mapeadas estão localizadas em Arniqueira, Ceilândia, Estrutural, Fercal, Itapoã, Núcleo Bandeirante, Paranoá, Planaltina, Recanto das Emas, Riacho Fundo, Setor de Indústrias e Abastecimento (SIA), Samambaia, Santa Maria, São Sebastião, Sobradinho, Sobradinho 2, Taguatinga, Varjão e Vicente Pires.

Os brasilienses devem ficar atentos aos problemas comuns neste período chuvoso, como rachaduras, alagamentos e queda de muros. Em caso de edificações afetadas pela chuva, deve-se sair imediatamente do local e acionar o Corpo de Bombeiros Militares do Distrito Federal (CBMDF), pelo telefone 193, e a Defesa Civil, no número 199. O órgão também orienta que, antes das chuvas, é importante providenciar a poda ou corte de árvores próximas a residências, com risco de queda; consertar as falhas do telhado; e não acumular lixo nem entulhos nas ruas, pois causam entupimento de bueiros.

Prejuízos
A moradora de Vicente Pires Amanda Carvalho, de 30 anos, teve a residência alagada devido às tempestades dos últimos dias. “Quando fomos na frente de casa, estava descendo muita água e tivemos de quebrar o muro do condomínio, porque a enxurrada vinha com uma força impressionante, algo que eu nunca vi”, afirmou.

Amanda mora há sete anos em Vicente Pires, e diz que há três anos não passava por uma situação como essa. “Não sei o que aconteceu. Dizem que foi por conta de uma obra na Rua 12. Essas foram as piores vezes, nunca aconteceu algo dessa maneira”.

A empreendedora relata que o alagamento na casa queimou os motores da piscina e do portão, estragou móveis, eletrodoméstico e um automóvel. “É uma coisa muito ruim, que eu não desejo para ninguém. Na hora, eu e a minha mãe começamos a chorar, porque já tínhamos passado por isso no sábado, que foi o pior dia. Na quarta-feira, aconteceu tudo novamente”, desabafou.

 


Recomendações

Durante um temporal, evite lugares que ofereçam pouca ou nenhuma proteção contra raios, tais como:

» Celeiros
» Tendas ou barracos
» Veículos sem capota, como tratores, motocicletas ou bicicletas
» Áreas abertas, como campos de futebol, quadras de tênis e estacionamento
» Alto de morros ou topo de prédios
» Não se aproximar de cercas de arame, varais metálicos, linhas elétricas aéreas e trilhos
» Piscinas
» Debaixo de árvores isoladas

Em casa
» Não use telefone (aparelhos sem fio podem ser usados)
» Não fique próximo às tomadas, canos, janelas e portas metálicas
» Não toque em equipamentos elétricos que estejam ligados à rede elétrica

Na rua
» Não segure objetos metálicos longos, tais como varas de pesca e tripés
» Nunca empine pipas ou aeromodelos com fio
» Não ande a cavalo
» Nunca permaneça na água

 

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE