Educação

Aulas presenciais na rede pública serão retomadas dia 8, diz Ibaneis

Declaração foi dada na manhã desta quinta-feira (25/2), em visita a Santa Maria. Sindicato dos Professores diz que categoria não aceita o retorno presencial

*Edis Henrique Peres
postado em 25/02/2021 11:15 / atualizado em 25/02/2021 19:01
Ibaneis fez o anúncio durante visita a Santa Maria -  (crédito: Edis Henriques/CB/D.A. Press)
Ibaneis fez o anúncio durante visita a Santa Maria - (crédito: Edis Henriques/CB/D.A. Press)

Em pronunciamento na Escola Classe 1, de Santa Maria, o governador Ibaneis Rocha (MDB) reafirmou que as aulas da rede pública de ensino do Distrito Federal serão presenciais a partir de 8 de março.

"Não podemos aumentar a distância social das crianças de escolas públicas em relação a de ensino particular. É legítima a reivindicação dos professores, mas não podemos atrasar mais o retorno às aulas”, justificou.

O chefe do Executivo disse ainda contar com os professores "para esse retorno seguro seguindo as recomendações de prevenção". Segundo Ibaneis, as crianças estão ficando doentes em casa. "O retorno às aulas é urgente mesmo que alternados de acordo com plano da secretaria de educação."

Sem vacina, não!

Informado da declaração de Ibaneis Rocha, o diretor do Sinpro, Samuel Fernandes afirmou que a categoria não vai aceitar o retorno presencial agora, principalmente levando em conta a situação pandêmica.

De acordo com ele, as escolas não estão preparadas para receber os alunos. "O governo quer levar várias famílias à morte. Essa é uma luta pela vida. Não vamos aceitar e, se o governo insistir, vamos convocar uma assembleia virtual com a categoria". O posicionamento do sindicato é que as aulas presenciais sejam retomadas apenas após a vacinação e com as condições sanitárias adequadas.

Para o deputado federal Professor Israel Batista (PV-DF), ainda faltam estrutura e segurança para a volta às aulas na rede pública. “O momento é de precaução. Será que a gente tem realmente condições de reabrir as escolas? As salas permitem o distanciamento necessário entre os alunos? Nos banheiros, você encontra sabão e papel higiênico? A realidade não é essa! Se não há o mínimo, quem dirá álcool gel?”, indaga.

Secretário-geral da Frente Parlamentar Mista da Educação no Congresso, ele defende que a prioridade agora é buscar a vacina para imunizar professores e profissionais da educação. “O governo tinha que estar preocupado com a aquisição das doses para incluí-los nos grupos prioritários. Não dá para reabrir as escolas a qualquer preço, no auge da pandemia”.

O Correio procurou a Secretaria de Estado de Educação do DF (SEE-DF) para ter informações detalhadas sobre o plano estratégico da pasta para o retorno às aulas presenciais. No entanto, até o final da tarde desta quinta-feira (25/2), não teve retorno. 

Colaboraram: Cibele Moreira e Ana Silva

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE