Pandemia

Número de infecções por covid-19 entre crianças e adolescentes cresce no DF

O Governo do Distrito Federal continua em alerta com o percentual da taxa de transmissão do coronavírus na capital, que indica que 100 pessoas contaminam outras 132. Saúde mobilizou sete leitos para receber esta população crianças e adolescentes

Ana Clara Avendaño*
postado em 09/03/2021 21:01
 (crédito: .)
(crédito: .)

Após o primeiro dia de aplicação da medida de toque de recolher no Distrito Federal, o índice de transmissão segue alto: 1,32, segundo o chefe da Casa Civil, Gustavo Rocha. “O índice de transmissão baixou, mas continua alto, acima de 1 é alto”, detalhou em coletiva de imprensa realizada nesta terça-feira (9/3).

O secretário da Saúde, Osnei Okumoto, assegurou que a capital tem oxigênio e insumos suficientes para atender a população. No entanto, ele alerta: "Nós estamos em uma fase crítica. O levantamento não é feito só no DF, porque o oxigênio é distribuído para o país inteiro. Se todo país, que possui 23 estados com 80% das suas UTIs lotadas, não tomar nenhuma decisão, será desencadeado um número maior de pacientes internados com utilização de oxigênio, e pode vir a faltar futuramente. No entanto, hoje, o contrato da nossa Secretária de Saúde é uma quantidade suficiente para atender o DF”.

Segundo Anderson Torres, secretário de Segurança Pública, neste momento, a fiscalização nas ruas durante o toque de recolher visa orientar a população. “Temos nos deparado com pessoas e estabelecimentos que insistem em descumprimir as restrições. Eu gostaria de ressaltar os problemas que estamos tendo com festas clandestinas com aglomeração”, afirma ele.

Jovens

Na última segunda-feira (8/3), sete leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) foram abertos no Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB). De acordo com o chefe da pasta de saúde, ocorreu a mobilização das vagas em decorrência do aumento da procura de casos de infecção em crianças e adolescentes e o aumento da procura por atendimento hospitalar desta população.

“Isso reforça a necessidade do toque de recolher e das medidas restritivas, porque são os jovens que estão saindo para aglomerações, que saíram para o carnaval, e os efeitos estão sendo vistos agora e ocupando leitos. Se não tiver mudança na consciência dessas pessoas, os leitos serão abertos e ocupados”, enfatizou Rocha.

O decreto

O governador Ibaneis Rocha (MDB) decretou, nesta segunda-feira (8/3), o toque de recolher em todo o Distrito Federal em decorrência do aumento constante de casos de covid-19 na capital e da situação alarmante de ocupação de leitos de UTI das redes pública e privada. A restrição ocorre entre as 22h e as 5h, até 22 de março. Portanto, os brasilienses que descumprirem o decreto deverão pagar multa de R$ 2 mil.

Neste período, fica proibida a circulação de pessoas nas ruas, exceto para aqueles que estiverem em deslocamento, em caráter excepcional, para atender a eventual necessidade de tratamento de saúde emergencial ou de aquisição de medicamentos em farmácias ou em regresso à residência ao fim da jornada de trabalho.

Os estabelecimentos permitidos a funcionar durante o toque de recolher são hospitais, clínicas médicas e veterinárias, farmácias, postos de gasolina e funerárias. As entregas realizadas por serviço de delivery poderão ocorrer até as 23h, caso o pedido tenha sido realizado até as 22h, assim, o estabelecimento fica autorizado a funcionar exclusivamente para finalizar as entregas.

* Estagiária sob supervisão de Mariana Niederauer

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE