saúde

É fake que inalação de água sanitária ajuda a combater covid-19

Conselho Federal de Química, 21 Conselhos Regionais e a Associação Brasileira das Indústrias de Produtos de Higiene, Limpeza e Saneantes (Abipla) divulgaram nota informando o perigo da inalação

Correio Braziliense
postado em 26/03/2021 14:47 / atualizado em 26/03/2021 14:48
O a informação sobre a inalação circula nas redes sociais -  (crédito: Minervino Júnior/CB/D.A Press            )
O a informação sobre a inalação circula nas redes sociais - (crédito: Minervino Júnior/CB/D.A Press )

Vídeo circula nas redes sociais sugerindo a inalação de uma substância formada por água, bicarbonato de sódio e água sanitária para ajudar a prevenir e curar a covid-19. Preocupados com a desinformação, o Conselho Federal de Química (CFQ), 21 Conselhos Regionais e a Associação Brasileira das Indústrias de Produtos de Higiene, Limpeza e Saneantes (Abipla) divulgaram, nesta quinta-feira (25/3), nota sobre o perigo dessa inalação.

O texto destaca que os "produtos saneantes, tais como a água sanitária, foram desenvolvidos para utilização sobre superfícies inanimadas, jamais para aspersão sobre a pele e menos ainda para inserção nas vias respiratórias". Conforme a nota, a inalação, proposta por fazer uso de produtos simples e acessíveis para a maior parte da população, aumenta a possibilidade de sua utilização em massa e potencializa seus riscos.

"Compreendemos que, neste momento de pandemia, grupos acabam tentados a experimentações sem qualquer tipo de controle ou registro técnico de resultados. Em consequência, é previsível que se promova a divulgação de tais experimentos. A nós, como profissionais da Química e representantes da indústria do setor de higiene e limpeza, cabe o alerta de que as consequências dessas iniciativas são invariavelmente danosas à saúde. Quaisquer substâncias são completamente seguras apenas quando obedecidas as instruções dos fabricantes que foram previamente analisadas e aprovadas pela Anvisa", diz o documento.

As entidades reforçam ainda que as "medidas de distanciamento social, higiene pessoal e vacinação em massa são as principais iniciativas respaldadas na ciência e, por enquanto, as que devem ser consideradas para o controle da pandemia".

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE