Violência contra a mulher

Técnico do TST coloca fogo na casa após brigar com a mulher em Arniqueiras

Aos policiais militares, a vítima relatou que o autor puxou uma faca para tentar matá-la, momento em que ela conseguiu fugir e buscou refúgio na casa de um vizinho

Darcianne Diogo
postado em 03/04/2021 21:35
Um dos quartos da casa ficou destruído pelas chamas -  (crédito: PMDF/Divulgação)
Um dos quartos da casa ficou destruído pelas chamas - (crédito: PMDF/Divulgação)

Uma mulher, de 37 anos, teve a casa incendiada pelo companheiro, de 58 anos, na tarde deste sábado (3/4), no Conjunto 03 do Setor Habitacional Arniqueiras. Após uma discussão, o homem, que trabalha em cargo comissionado como técnico judiciário do Tribunal Superior do Trabalho (TST), jogou gasolina na residência e ateou fogo.

Aos policiais militares que atenderam a ocorrência, a vítima relatou que mantinha relação com o homem há cerca de 10 anos e que essa não teria sido a primeira vez que o acusado agiu de maneira agressiva. “Segundo ela, o autor, após a discussão, puxou uma faca para tentar matá-la, momento em que a mulher conseguiu fugir e buscar refúgio na casa de um vizinho”, detalhou, ao Correio, o sargento Dyan Carlos, do 17º Batalhão de Águas Claras, responsável pela operação.

Militares do Corpo de Bombeiros contiveram as chamas em poucos minutos
Militares do Corpo de Bombeiros contiveram as chamas em poucos minutos (foto: CBM-DF/Divulgação)

Enfurecido, o agressor teria pegado um galão de gasolina, jogado no quarto da casa e ateado fogo. Ele fugiu em seguida. Trinta e quatro militares do Corpo de Bombeiros chegaram poucos minutos depois do incêndio e conseguiram controlar as chamas rapidamente. Segundo a corporação, as equipes encontraram o imóvel com chamas altas. O quarto ficou destruído e o madeiramento do telhado também foi atingido, provocando o desabamento de parte das telhas.

A mulher não se feriu e foi atendida pelos bombeiros, mas não precisou ser levada ao hospital. Policiais militares de outro prefixo foram acionados para tentar localizar o homem. O agressor foi preso em um quiosque da Área de Desenvolvimento Econômico (ADE) de Águas Claras consumindo bebida alcoólica e encaminhado à 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul), unidade que investiga o caso.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE