Festa Clandestina

PMs recebem pedradas e cadeirada em festa clandestina do Paranoá

Os policiais foram ao local após receberem denúncias da festa, mas foram hostilizados pelas pessoas que participavam da aglomeração

Edis Henrique Peres
postado em 05/04/2021 17:01
 (crédito: Reprodução)
(crédito: Reprodução)

Na noite deste domingo (4/4), policiais militares receberam pedradas de um grupo de pessoas que participava de uma festa clandestina na quadra 31 do Paranoá. Uma cadeira foi arremessada contra os militares e duas pessoas foram presas. A confusão aconteceu por volta das 22h30, após a equipe da Polícia Militar do DF (PMDF) atender uma denúncia de desobediência ao decreto do GDF que proíbe aglomerações e eventos de 22h às 5h, quando começa o toque de recolher na capital do país.

Em nota, a PM explicou que “ao chegar no local a equipe se deparou com muita aglomeração e som alto, pessoas fazendo uso de bebidas alcoólicas e muitas crianças na rua. A equipe foi recebida a pedradas e cadeiradas. Diante da situação, foi solicitado apoio de todas as equipes do 20º Batalhão”.

De acordo com a corporação, foi necessário utilizar meios de menor potencial ofensivo durante a ocorrência, por isso, um dos policiais disparou balas de borracha contra os moradores. Com a ação, um dos participantes da festa ficou ferido e foi levado ao Hospital Regional do Paranoá (HRP), onde recebeu os primeiros socorros. Dois policiais militares também ficaram feridos.

A festa foi encerrada e dois agressores foram levados para a 6ª Delegacia de Polícia do Paranoá. Os suspeitos vão responder pelos crimes de descumprimento de medida sanitária, desacato, lesão corporal e desobediência. A Polícia Civil do DF destacou que, como a soma das penas dos crimes é superior ao valor afiançável, os suspeitos ficarão presos na divisão de controle e custódia até uma decisão judicial.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE