animais

Hospital Veterinário do DF recebe doação de sangue; veja como ajudar

Cerca de 30 transfusões são feitas são feitas por mês e a doação pode salvar vidas em tratamentos de doenças, durante procedimentos cirúrgicos e no atendimento de cães vítimas de acidente

Correio Braziliense
postado em 05/04/2021 17:07
Para doar, o cachorro precisa ter entre 2 e 6 anos e pesar mais de 27kg -  (crédito: Divulgação/ Hvep)
Para doar, o cachorro precisa ter entre 2 e 6 anos e pesar mais de 27kg - (crédito: Divulgação/ Hvep)

Assim como os seres humanos, os cães também podem doar e receber sangue. O Hospital Veterinário de Taguatinga (Hvep) realiza, por mês, cerca de 30 transfusões entre os animais. A ação ajuda a salvar vidas em tratamentos de doenças, durante procedimentos cirúrgicos e no atendimento de vítimas de acidente.

No entanto, o Hvep destaca que não é qualquer cachorro que pode ser um doador. O animal precisa ter entre 2 e 6 anos, pesar mais de 27kg, ser vacinado e vermifugado, livre de ectoparasitas (como pulgas e carrapatos), não ter tido doença recente e ser dócil. Os interessados em participar que tiverem cachorros nestas condições devem entrar em contato pelo Whatsapp (61) 99687-8007.

"A gente não tem um banco de sangue. Montamos um banco de dados de pessoas interessadas em trazer o cão para doar e, quando precisamos, entramos em contato e verificamos se há disponibilidade de trazer o animal e já fazer a transfusão", explica a diretora do Hospital Veterinário de Taguatinga, Mayara Cauper.

O Knox, cachorro da raça american bully, é um dos cães doadores frequentes do hospital. "Eu já fiz estágio na unidade e acho a ação muito importante para salvar vidas", diz a dona do cachorro e veterinária, Neivirene Morais, 32 anos. Além dele, outros dois animais dela também fazem doações num intervalo de três meses. De acordo com Mayara Cauper, este é o tempo que deve ser respeitado entre uma doação e outra para não prejudicar a saúde do animal doador.

Parceria

Quando o hospital ou o tutor do animal está precisando de uma transfusão e não consegue encontrar um doador ou comprar uma bolsa de sangue, o Hospital Veterinário recorre aos cães da Polícia Militar (PMDF) e do Corpo de Bombeiros (CBMDF).

"Nós temos um plantel com 45 cães e todos têm pré-requisitos para doação. Quando o hospital veterinário público ou a Universidade de Brasília solicita, a gente encaminha um deles", explica o comandante do Batalhão de Policiamento com Cães da PMDF, major Carlos Augusto Ferreira dos Reis.

O major conta que fazem, em média, duas doações por mês. A maioria é feita pela raça pastor-belga malinois. "A doação pode ser entre cães de raças diferentes. Nós fazemos o teste de compatibilidade e, estando tudo certo, realizamos a transfusão", explica Mayara Cauper.

Dois cachorros do Corpo de Bombeiros também fazem doações de sangue para o hospital, semestralmente, para não cansar os labradores que fazem parte da equipe de salvamento da corporação.

Com informações da Agência Brasília 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE