Frio surpreende brasiliense

Sensação térmica foi de 10ºC na manhã de ontem. De acordo com o Inmet, a previsão é de que as temperaturas comecem a cair no DF a partir deste mês. Hoje, a mínima será de 15°C e a máxima de 25°C. Chegou a hora de tirar o casaco do guarda-roupa

Ana Maria da Silva
postado em 08/04/2021 23:16
 (crédito: André Dib/Divulgação)
(crédito: André Dib/Divulgação)

Quem precisar sair de casa terá de se agasalhar nos próximos dias. Hoje, a temperatura deve variar entre 15°C e 25°C, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Ontem, os ventos chegaram a 50km/h, e a sensação térmica foi de 10ºC nas primeiras horas do dia. Para alegria de uns e tristeza de outros, chegou a hora de tirar o casaco do guarda-roupa.

A previsão do Inmet é de que as temperaturas comecem a cair no Distrito Federal a partir deste mês. “Apesar de ainda ser um mês que chove, em média 133,4mm, temos algumas características do verão, com dias quentes e úmidos com chuvas, e alguns dias com características de inverno, mais secos e frios. Então, é comum começar a ver um pouco dessas características ainda este mês”, ressalta o meteorologista do Inmet Olívio Bahia.

De acordo com Olívio, o frio deve aparecer com força somente em maio. “A partir daí, sim, devemos ter dias mais secos, com umidade relativa baixa, e por vezes frios”, garante. Segundo o meteorologista, as características do outono deverão aparecer com mais força durante o próximo mês, uma vez que as chuvas diminuem e as temperaturas tendem a cair mais. “Começam a entrar as massas mais frescas ou frias sobre o continente”, acrescenta.

A sensação térmica de 10ºC registrada, ontem, no DF ocorreu em decorrência dos ventos e da umidade relativa do ar, conforme explica a meteorologista do Inmet Andrea Ramos. “O vento está de fraco a moderado, e em alguns momentos até com rajadas, que são aqueles ventos com valores acima de 40km por hora. A umidade está alta. Nos nossos registros, vemos que chegou a 100% em alguns pontos. Já a mínima fica em torno de 50%. Esses dois parâmetros, quando combinados, causam a sensação térmica de mais frio”, explica.

A estabilidade climática também causa chuvas, como se tem visto nos últimos dias. A comunicadora Rebeca Guimarães, 22 anos, moradora de Ceilândia, conta que percebeu a mudança do clima nos últimos dias. “Mês passado começou quente, e acredito que a chuva veio justamente por esse motivo. Agora, o frio me surpreendeu positivamente, já que eu gosto bastante. O calor parece que deixa a gente mole, sem querer fazer as coisas. Esse clima mais fresco e com vento dá um ânimo maior”, conta.

Rebeca redobra os cuidados com a saúde com a chegada do frio. “A umidade de Brasília é baixa, e minha pele costuma ser bem sensível, já que eu tenho alergia atópica. Então, hidrato os lábios e a pele. Aqui em casa também cuidamos bastante da limpeza, já que eu e meu irmão temos rinite, e nesse tempo é algo que surge com mais facilidade”, pontua. Ao sair, a comunicadora não deixa de levar o necessário. “Se estiver ventando muito, me agasalho melhor, mas em casa não deixo de vestir uma blusa e calçar uma meia. Evito passar frio”, garante. “Tem que lembrar que o clima de Brasília é uma loucura. Nunca subestime e ande sempre com um guarda-chuva e uma blusa de frio”, complementa.

Cuidados

De acordo com a otorrinolaringologista Larissa Macedo de Camargo, do Hospital Santa Lúcia, com a redução da umidade e das chuvas durante este período do ano, observa-se o aumento da concentração de poeira, vírus e bactérias. “Com isso, há aumento da ocorrência de doenças de via aérea superior, como rinites, faringites, otites, amigdalites e faringites, bem como de via aérea inferior, como pneumonias, asmas e bronquites”, pontua.

Segundo a especialista, a porta de entrada para as infecções e processos alérgicos são as mucosas: olhos, nariz e cavidade oral. “Portanto, a lavagem frequente das mãos e uso de álcool em gel reduzem a chance de posicionarmos as mãos contaminadas na face, bem como a lavagem nasal, que limpa e reduz impurezas nas cavidades nasais”, garante. O uso de lubrificantes oculares também melhora a hidratação em pacientes que se queixam de olhos ressecados. “A hidratação oral aumenta a umidade nas mucosas e facilita a ação do sistema imune quando em contato com agentes externos”, acrescenta.

Larissa ressalta a importância de se evitar locais fechados, principalmente para evitar riscos de contágio da covid-19. “As medidas de controle difundidas contra o novo coronavírus tendem a repercutir positivamente nos cuidados contra outras doenças. Evitar aglomerações e sempre dar preferência para ambientes arejados e abertos são medidas importantes para controle da doença. Sempre ressaltando a presença de máscara em quaisquer ambientes fora do domicílio”, complementa a otorrinolaringologista.


Previsão do tempo

Hoje
» Encoberto com nevoeiro
» Temperatura: 15°C a 25°C
» Umidade: 95% a 50%
» Vento: fraco a moderado com rajadas

 

Proteção no frio

» Evite choque térmico. A mudança de temperatura reduz a capacidade de proteção dos micro cílios na cavidade nasal. Por isso, ambientes com temperatura constante tendem a ter menos processos alérgicos e infecciosos.

» Evitar exposição ao final do dia — momento em que há queda da temperatura. É uma importante medida para reduzir a chance de processos alérgicos e infecciosos. Quando exposto a este período, utilize agasalhos para evitar o choque térmico.

*Otorrinolaringologista Larissa Macedo de Camargo, do Hospital Santa Lúcia

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE