Crime

Posto de combustível clandestino no Lucio Costa é desmontado

Polícia Militar encontrou 24 galões de gasolina, etanol e diesel prontos para revenda armazenados em uma residência. Dois moradores foram presos

Jéssica Moura
postado em 29/04/2021 11:02
Uma denúncia levou a polícia ao posto ilegal -  (crédito: Divulgação/PMDF)
Uma denúncia levou a polícia ao posto ilegal - (crédito: Divulgação/PMDF)

Depois de receber uma denúncia, policiais militares do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e do Batalhão da Polícia Militar Ambiental do Distrito Federal (Bpma) encontraram um ponto de venda de combustível clandestino no Núcleo Rural Lucio Costa.

Na noite dessa quarta-feira (28/4), ao chegar ao local indicado pelo denunciante, os policiais encontraram um carro estacionado na entrada. Ao abordarem os ocupantes, eles confessaram que estavam ali para comprar combustível. Disseram ainda que o local funcionava como uma espécie de posto.

Por isso, os policiais militares entraram na casa: lá dentro, encontraram 24 galões de gasolina, etanol e diesel prontos para revenda. Apesar de o morador ter afirmado que os produtos não se destinavam ao comércio ilegal, as testemunhas confirmaram que ele era o vendedor.

Diante disso, os dois moradores da residência foram presos e levados para a 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul), onde foram registrados os crimes contra a ordem econômica e ao meio ambiente. A fiança foi fixada em R$ 1 mil.

Um decreto presidencial define como crime "adquirir, distribuir e revender derivados de petróleo, gás natural e suas frações recuperáveis, álcool etílico, hidratado carburante e demais combustíveis líquidos carburantes". A prisão para quem é condenado por esse crime varia de um a cinco anos.

Somente os estabelecimentos autorizados pela Agência Nacional de Petróleo (ANP) podem vender combustíveis no país. Nos últimos meses, a gasolina vem acumulando altas sucessivas nos preços. No Distrito Federal, já foram flagrados postos comercializando o combustível a mais de R$ 6 por litro.




Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE