CORONAVÍRUS

Covid-19: vacinação do primeiro grupo de pessoas com comorbidades começa no DF

Com cerca de 70 mil doses da AstraZeneca/Oxford e 5,8 mil da Pfizer/BioNTech disponíveis, imunização do novo grupo começa às 8h. Para ser atendido, é necessário agendar. Quem nunca fez tratamento pela rede pública de saúde deverá apresentar laudo médico

Darcianne Diogo
Samara Schwingel
postado em 04/05/2021 06:00
O casal de aposentados Cícero e Maria do Rosário elogiou a organização no posto de atendimento noturno -  (crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
O casal de aposentados Cícero e Maria do Rosário elogiou a organização no posto de atendimento noturno - (crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

A partir das 8h desta terça-feira (4/5) tem início a campanha de vacinação contra a covid-19 para pessoas com comorbidades no Distrito Federal. Nesta primeira etapa, indivíduos com síndrome de Down, com deficiência cadastradas para receber o Benefício de Prestação Continuada (BPC), pacientes que fazem hemodiálise, gestantes com comorbidades e imunossuprimidos poderão receber a primeira dose dos imunizantes. Cerca de 2.324 pessoas haviam agendado o atendimento até as 16h de segunda-feira (3/5), segundo a Secretaria de Saúde (SES-DF), mas o total de vagas para esse público era de 10 mil. Nesta terça (4/5), haverá reabertura do agendamento para profissionais de saúde da rede privada e, na quarta-feira (5/5), para pessoas com comorbidades de 55 a 59 anos.

A vacinação ocorre em 55 pontos da capital federal (confira a lista pelo link), sendo às 8h nos pontos presenciais e, às 9h, nos drive-thrus. O atendimento segue até as 17h, e é necessário agendar pelo portal vacina.saude.df.gov.br. Para o grupo de pessoas com comorbidades serão usadas, inicialmente, 75,8 mil doses de vacinas — 70 mil da Oxford/AstraZeneca, das quais, 10 mil serão para o primeiro grupo, e as demais, para o próximo grupo. Além dessas, os 5,8 mil imunizantes da Pfizer/BioNTech que chegaram ao DF na segunda-feira (3/5) à noite serão para esse grupo.

Em entrevista coletiva no Palácio do Buriti, o secretário da Casa Civil, Gustavo Rocha, fez um pedido à população: “(A imunização) é a saída mais rápida para o momento que estamos vivendo. Então, se você faz parte do público-alvo, procure um ponto de vacinação e vacine-se”.

Nas redes sociais, o governador Ibaneis Rocha (MDB) reforçou que não deve haver preocupação quanto à qualidade das doses disponíveis na rede. “Todas elas são seguras e eficientes contra a covid-19. Faço um apelo para que todas as pessoas com mais de 60 anos busquem os postos de vacinação tanto para (receber) a primeira quanto a segunda dose, porque só vamos superar essa crise à medida que as pessoas forem vacinadas”, escreveu o chefe do Palácio do Buriti.

Cadastro

O número de pessoas com comorbidades cadastradas no site da Secretaria de Saúde chegou a 87.315, às 14h30 de segunda-feira (3/5). A maioria registrou diagnóstico de hipertensão arterial (30,34%), diabetes mellitus (22,46%) e imunossupressão (9,08%). O cadastro é necessário para quem tem doença crônica e quer se vacinar contra a covid-19 no DF.

Presente à coletiva, o secretário de Saúde Osnei Okumoto ressaltou que o cadastro é importante para que a pasta se prepare para as próximas fases. “Aguardamos o cadastro para que entendamos (os números) e para que o Ministério da Saúde possa repor as doses, caso tenhamos uma demanda maior que o número de vacinas”, justificou.

O chefe da pasta reforçou que nenhuma pessoa deixará de ser atendida. Se as vagas acabarem ou a data do agendamento passar, será possível aguardar a abertura das próximas etapas. Aos que agendaram o atendimento, Osnei Okumoto ressaltou que não se deve esquecer os documentos (leia Tira-dúvidas). Quem tiver dificuldade de locomoção poderá ser atendido em casa por por equipes de saúde. Basta informar essa opção no ato da marcação, no site da SES-DF.

Novo horário

Na segunda-feira (3/5), um posto de vacinação noturno começou a funcionar na Praça dos Cristais, em frente ao Quartel-General do Exército, no Setor Militar Urbano (SMU). O drive-thru atenderá de segunda a sexta-feira, das 18h às 23h, com militares das Forças Armadas do Comando Conjunto Planalto que atuam na área da saúde. Todos passaram por treinamento e aplicarão primeira e segunda doses.

No dia de abertura, houve períodos de pouco movimento, mas, também, momentos de longas filas. A princípio, houve disponibilização de 1 mil doses para o novo posto. O casal de aposentados Maria do Rosário, 61, e Cícero de Aguiar, 63, elogiou a organização: “Foi tudo muito rápido. Chegamos e não levamos cinco minutos para nos vacinar. Sabemos que são profissionais comprometidos, sérios, que prezam pelo bem e pela saúde da população. Nosso desejo é que todos sejam vacinados”, disse Maria.

Os policiais civis André Maurício, 49, e José Carlos, 49, estavam ansiosos pela vacina e comemoraram a imunização. “Aguardávamos nossa vez com certa ansiedade e, graças a Deus, chegou”, comentou André. José não pegou a covid-19, mas temia contrair a doença e infectar familiares. “A segurança não para, e estamos na linha de frente. Claro que ficamos com medo de passar essa doença para quem amamos. Não sabemos o dia de amanhã”, comentou.

A Secretaria de Saúde não informou quantas doses das 11 milhões recebidas pelo Ministério da Saúde virão para o DF nos próximos dias. No entanto, segundo Osnei Okumoto e Gustavo Rocha, o Executivo local continuará a seguir as recomendações do Plano Nacional de Imunização (PNI) do governo federal. Com a atualização nas orientações, além de aplicar a primeira dose nos grupos-alvo, a SES-DF seguirá reservando imunizantes para a segunda dose.

Tira-dúvidas

O que levar no dia da vacinação?
Documento de identificação, cartão de vacinação (se houver), comprovante de agendamento, laudo médico que ateste a existência da comorbidade (caso nunca tenha havido atendimento na rede pública) e termo de autodeclaração, ratificando que a comorbidade é verdadeira e que o paciente se responsabiliza pelas informações. Se houver identificação de irregularidades, a pessoa vacinada poderá responder legalmente.

Se não levar, a pessoa perde a vaga?
Caso o paciente esqueça os papéis em casa, ele pode voltar, pegar e, então, retornar ao posto de atendimento no mesmo dia para receber o imunizante. Caso não seja possível buscar ou se a pessoa não tiver os documentos, ela perderá a vaga.

Quem são os grupos atendidos nesta primeira fase?
Pessoas com síndrome de Down; pessoas com deficiência e cadastro para recebimento do Benefício de Prestação Continuada (BPC); pacientes que fazem terapia renal substitutiva (hemodiálise); gestantes com comorbidades; e imunossuprimidos.

Até quando vai esse atendimento?
A vacinação do primeiro grupo está prevista para ocorrer entre esta terça (4/5) e quinta-feira (6/5). Porém, caso haja necessidade devido à alta demanda, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal pode ampliar o calendário.

Quais são as outras fases? E quem será atendido nelas?
Entre sexta-feira e sábado, serão vacinadas pessoas com 59 anos e alguma comorbidade. Entre os dias 10 e 11 de maio, pessoas com 58 anos; nos dias 12 e 13, aquelas com 57 anos; e assim por diante, até alcançar pacientes com doenças crônicas e 55 anos. A Secretaria de Saúde detalhará as fases seguintes de acordo com o andamento da campanha e a chegada de novas doses ao DF.

Quantas pessoas têm comorbidades no DF?
Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados em novembro mostram que há cerca de 513 mil pessoas com algum tipo de comorbidade e menos de 60 anos no Distrito Federal.

Só será vacinado quem estiver cadastrado?
Sim. O cadastro é uma etapa necessária para a imunização de pessoas com comorbidades. Só poderá fazer o agendamento quem se cadastrar antes.

Fonte: Secretaria de Saúde do Distrito Federal

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE