Caso Lázaro

Lázaro mudava de endereço a cada dois meses, diz delegado da 24ª DP

Em entrevista ao CB Poder, o delegado Raphael Seixas afirmou que o foragido estava morando em Ceilândia antes de cometer o crime no Incra 9. Além disso, ele afirmou que Lázaro tem o costume de passar o dia "no mato"

Samara Schwingel
postado em 18/06/2021 15:14 / atualizado em 19/06/2021 00:24
 (crédito: Marcelo Ferreira/CB/ DA Press)
(crédito: Marcelo Ferreira/CB/ DA Press)

Lázaro Barbosa de Sousa, 32 anos, acusado de ser autor da chacina do Incra 9 e de outros crimes, tem o costume de mudar de endereço de dois em dois meses. Foi o que apurou o delegado-chefe da 24ª DP, de Ceilândia, Raphael Seixas, responsável pelo inquérito sobre a morte da família Vidal e demais crimes ocorridos na região de Incra 9. Em entrevista ao CB Poder, parceria entre o Correio Braziliense e a TV Brasília, o delegado revelou que, antes de matar a família Vidal, o acusado estava morando em Ceilândia. 

"Lá (na casa de Lázaro) conseguimos apreender munições. A casa, porém, já estava vazia. De dois em dois meses ele trocava de residencia e quem fazia a mudança dele era a atual companheira dele", disse Raphael à jornalista Darcianne Diogo. 

Segundo o delegado, o comportamento de Lázaro foi adotado por ele ter vários mandados de prisão abertos. Além disso, Raphael considera que o histórico do foragido mostra que ele tem domínio da região e o costume de passar o dia "no mato"

"Quando ele cometia um crime, passava o dia no mato e, de noite, saía ia ver a esposa e a filha. Quando ele praticava um crime de maior relevância, passava maior tempo no mato", revelou o delegado. Por isso, Raphael acredita que não será fácil capturar o acusado. "A dificuldade é extrema. Claro que o cerco está fechado e acredito no sucesso das operações", completa. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE