AUTOR DE CHACINA

Um dia depois de estupro no Sol Nascente, Lázaro deu nome errado à polícia

Fatos ocorreram em novembro de 2009. Detido por porte ilegal de arma no município goiano, Lázaro se apresentou como Gabriel

Ana Isabel Mansur
postado em 18/06/2021 17:16 / atualizado em 18/06/2021 17:17
 (crédito: PCDF/Divulgação)
(crédito: PCDF/Divulgação)

Em 15 de novembro de 2009, Lázaro Barbosa de Sousa, 32 anos, procurado há 10 dias pelo assassinato de uma família no Incra 9, em Ceilândia, invadiu uma chácara no Sol Nascente por volta de 2h da madrugada. Deixando os homens da família presos dentro da residência, o homem levou uma jovem, 19 anos, para a mata, onde a estuprou por cerca de três horas. 

No dia seguinte, em Corumbá (GO), distante cerca de 100 km da cidade do DF, Lázaro foi detido em flagrante por porte ilegal de armas. Nessa ocasião, o criminoso se apresentou como Gabriel Barbosa de Sousa.

As informações são da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal (VEP-DF). Um dos caminhos que ligam Sol Nascente a Corumbá de Goiás é a BR-070, via que concentra barreiras policiais na atual ação de buscas por Lázaro, entre Edilândia e Girassol.

Crime semelhante

Em 26 de abril deste ano, o foragido estuprou uma mulher, também em Sol Nascente. Em ação parecida com o crime de 2009, Lázaro invadiu uma residência, também por volta das 2h da manhã.

O fugitivo levou a vítima, 39 anos, a uma mata, onde a estuprou, enquanto manteve os homens da família presos em um cômodo, como fez em 2009.

Buscas intensas

Nesta sexta-feira (18/6), a operação de perseguição a Lázaro completa 10 dias. A ação envolve circulação de viaturas das polícias militar, civil e dos bombeiros.

Lázaro Barbosa é procurado desde 9 de junho, apontado pela Polícia Civil do DF como o autor da chacina contra uma família de quatro pessoas em Ceilândia Norte, no Distrito Federal.

Para os investigadores, ele assassinou a facadas e tiros Cláudio Vidal, 48, e os filhos Carlos Eduardo, 21, e Gustavo, 15. Depois, sequestrou Cleonice Vidal, encontrada morta no sábado (12/6).

A família foi enterrada na segunda-feira (14/6), no cemitério de Taguatinga. Durante o sepultamento, parentes e amigos pediam por justiça.

Além das mortes, durante a fuga Lázaro ainda invadiu várias chácaras da região do Entorno, e feriu mais pessoas durante . Na terça-feira (15/6), fez refém uma família de três pessoas em uma chácara de Edilândia.

Uma das vítimas conseguiu avisar a polícia, que se deslocou para a área. Houve uma troca de tiros, em que um policial militar de Goiás ficou ferido. Lázaro, de novo, conseguiu fugir. A família foi resgatada e o policial atingido já recebeu alta.

Enquanto isso, a população dos pequenos povoados de Girassol e Edilândia, onde Lázaro se esconde, teme que ele cometa mais crimes. Fazendeiros e trabalhadores rurais deixaram chácaras da região com medo do foragido, que baleou três pessoas em outra propriedade.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE