Trânsito

Lei Seca completa 13 anos e Detran flagra 301 motoristas alcoolizados

Abordagens ocorreram ao longo do último fim de semana. Um dos motoristas fugiu à pé. Mortes no trânsito diminuíram após a Lei Seca

Correio Braziliense
postado em 21/06/2021 12:55
O número de mortes no trânsito diminuiu após a adoção da Lei Seca -  (crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
O número de mortes no trânsito diminuiu após a adoção da Lei Seca - (crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

Entre sábado (19/6) e domingo (20/6), os agentes do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) flagraram 301 motoristas dirigindo alcoolizados nas avenidas da capital federal.

Um dos condutores chegou a fugir depois da abordagem dos fiscais, no Jardim Botânico. Durante a fuga, o motorista bateu na viatura do Detran e, ainda assim, tentou escapar à pé. Dentro do carro, foi encontrada uma mochila com 10 kg de drogas, entre maconha, haxixe e cocaína. O motorista que fugiu já tinha passagens por tráfico.

Na blitz em Taguatinga, um motorista embriagado foi parado duas vezes em blitz em pontos diferentes da cidade. Na primeira abordagem na Elmo Serejo, o motorista foi liberado depois que outro condutor sóbrio assumiu a condução. Meia hora depois, a mesma caminhonete foi parada no centro de Taguatinga e, dessa vez, o motorista bêbado estava novamente ao volante. Ele foi autuado e o veículo, removido.

Todas essas abordagens ocorreram na data de aniversário da Lei Seca, que completou 13 anos neste sábado. A norma entrou em vigor em junho de 2008 e alterou a redação do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) ao endurecer a punição para quem dirige sob efeito de álcool.

A lei proíbe que os motoristas dirijam depois de beber. A infração é classificada como gravíssima e a multa é de R$ 2.934,70. No caso de reincidência, a infração é dobrada e sobe para R$ 5.869,40.

Além da multa, dirigir embriagado também é considerado crime se o bafômetro indicar concentração igual ou superior a 6 decigramas de álcool por litro de sangue ou igual ou superior a 0,3 miligrama de álcool por litro de ar. A pena é de detenção de seis meses a três anos, multa e suspensão ou proibição de dirigir.

Um levantamento do próprio Detran aponta que as mortes no trânsito caíram desde a adoção da medida. Enquanto entre 2007 e 2008 o DF contabilizou 500 mortes em acidentes, esse montante caiu para 170 entre junho de 2020 e o mesmo mês de 2021.

A Polícia Militar também conduz a operação "Álcool Zero" para coibir a prática em vias urbanas e rodovias do DF. A ação ocorre perto de bares e restaurantes, e também de grandes eventos, onde há grande fluxo de pessoas. Até maio deste ano, a PM flagrou 6.258 motoristas embriagados nessas abordagens, 23% a mais do que mesmo período do ano passado.



Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE