TRÂNSITO

Viaduto no Sudoeste avança

O governador Ibaneis Rocha (MDB) assinou, ontem, ordem de serviço para o início das obras na Estrada Parque Indústrias Gráficas (Epig). Construção faz parte do Corredor Eixo Oeste, que vai ligar Ceilândia ao Plano Piloto

Jéssica Moura
Rafaela Martins
postado em 21/06/2021 22:19
 (crédito: Rafaela Martins/Esp. CB/D.A Press)
(crédito: Rafaela Martins/Esp. CB/D.A Press)

A construção de um novo viaduto no Sudoeste é um pedido de longa data de moradores da região e também de quem trafega pela área todos os dias e enfrentam o congestionamento que se forma na Estrada Parque Indústrias Gráficas (Epig). O governador Ibaneis Rocha (MDB) assinou, ontem, a ordem de serviço para dar início às obras na região, com a promessa de resolver o problema de décadas.

Os engarrafamentos nesse trecho são comuns, sobretudo em horário de pico. Diariamente, cerca de 50 mil veículos trafegam pela pista. O chaveiro Ângelo Donizete, 57 anos, sai todos os dias de Taguatinga em direção ao Sudoeste para trabalhar e precisa trafegar pela Epig às 8h e às 18h. “Vai melhorar bastante, vai desenvolver o trânsito melhor, vai facilitar”, avalia.

Durante o evento para assinatura da ordem de serviço, o secretário de Obras e Infraestrutura, Luciano Carvalho, reconheceu que a obra “é uma demanda muito antiga” e necessária. O governador Ibaneis Rocha reforçou: “Vai ajudar a destravar o trânsito que todos nós sabemos o quanto é sofrido aqui nessa região”.

Os trevos na Epig serão feitos de forma subterrânea. Com isso, quem sair do Parque da Cidade em direção ao Sudoeste não terá mais de passar por semáforos e retornos e poderá seguir direto para a Avenida das Jaqueiras (que separa o Cruzeiro do Sudoeste Econômico), passando embaixo da Epig.

Fluidez
Ainda está prevista uma reforma na Epig para abrir uma faixa para a circulação do BRT. Quanto ao viaduto, a estimativa é de que fique pronto em 1 ano e 3 meses. O custo total da obra, que deve gerar 300 empregos, é de R$ 26 milhões. A estrutura vai ficar na intersecção entre o Parque, o Sudoeste e a Epig. Com a obra, os semáforos serão removidos.

“O meu sonho é que Brasília não precise mais disso, e a gente consiga andar por ela, pelo menos nas principais avenidas, sem ter que parar”, afirmou o governador.

O viaduto foi batizado em homenagem a um dos pioneiros de Brasília, Luiz Carlos Botelho, engenheiro responsável por obras como o Clube do Exército e de outros viadutos, como os da L3 Sul e Norte.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE