Contaminação

Surto de bactéria no Hmib faz hospital vetar internação de bebês

Secretaria de Saúde diz que seis dos 25 bebês internados foram infectados pela bactéria Acinetobacter baumannii, detectada em 8 de julho.

Pedro Marra
postado em 20/07/2021 20:44
 (crédito: Ed Alves/CB/D.A Press - 30/10/2018)
(crédito: Ed Alves/CB/D.A Press - 30/10/2018)

Após o Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib) identificar um surto de uma bactéria na unidade de terapia intensiva neonatal (Utin), uma comissão da unidade decidiu restringir parcialmente a internação de bebês recém-nascidos e grávidas. Identificada como Acinetobacter baumannii, o organismo é multirresistente a diversos antibióticos.

Segundo a Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF), o surto foi detectado na UTI Neonatal, em 8 de julho. “A Comissão de Infecção Hospitalar foi imediatamente acionada. Dos 25 bebês internados, seis foram detectados com a bactéria. Foram tomadas todas as medidas de controle interno, coordenadas pela Comissão de Infecção Hospitalar”, informa a nota da pasta sobre o episódio.

Em casos onde apenas o Hmib é referência na rede de saúde, foi mantida a internação normalmente, como em situações em que os bebês recém-nascidos necessitam de assistência cirúrgica, imediatamente após o nascimento.

“Não foi registrado nenhum novo caso de infecção após a identificação inicial da bactéria. O Hmib, referência em atendimento a bebês e grávidas de alto risco, restringiu a internação de gestantes cujo perfil caracterize necessidade de assistência na UTI Neonatal”, acrescenta a SES-DF.

A Secretaria complementa que foi montado um sistema de vigilância regular e novos casos não foram registrados. “A pasta confirma que as pacientes recebidas na emergência do Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib) continuam sendo atendidas normalmente.”

 


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE