Homicídio

Jovem que teve cabeça encontrada em Águas Lindas foi morto em Ceilândia

Em 2 de julho, moradores encontraram a cabeça do rapaz na Praça Santa Lúcia, em Águas Lindas de Goiás. O crime, no entanto, ocorreu no DF, e segundo as investigações, os autores levaram parte do corpo do jovem até o município goiano por ser uma área de rivalidade entre os envolvidos

Darcianne Diogo
postado em 29/07/2021 16:29 / atualizado em 29/07/2021 16:42
 (crédito: Material cedido ao Correio)
(crédito: Material cedido ao Correio)

O crime bárbaro que vitimou Randerson Máximo aconteceu dentro de uma casa, em Ceilândia, revelaram as investigações da Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO). Em 2 de julho, moradores encontraram a cabeça do rapaz na Praça Santa Lúcia, em Águas Lindas de Goiás, distante cerca de 48km de Brasília. O corpo do jovem foi localizado seis dias depois em uma área de mata, no DF.

Após diligências da PCGO, os investigadores descobriram que o homicídio ocorreu, de fato, em uma residência na QI 22, no Setor de Indústria de Ceilândia, próximo ao local onde o corpo foi localizado. A brutalidade chegou a ser filmada pelos criminosos.

Depois de assassinar a vítima, os criminosos o decapitaram e jogaram a cabeça no meio de uma praça, em Águas Lindas de Goiás. O Correio apurou que o local foi escolhido pelo grupo por ser uma área de rivalidade entre os autores e Randerson.

Localização


O corpo de Randeson foi encontrado em 7 de julho, em Ceilândia. À época, o delegado Cléber Martins, titular da 17ª Delegacia Regional de Polícia (DPR), afirmou que o cadáver tinha tatuagens condizentes com os nomes de parentes de Randerson.

Um dos envolvidos no homicídio acabou morto no mesmo dia em que o corpo foi encontrado, durante um confronto com policiais militares da Rotam de Goiás. O criminoso era integrante do Comando Vermelho (CV), facção oriunda do Rio de Janeiro. A PCGO segue com as investigações.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE