Assédio sexual

MP denuncia ex-secretário de Luziânia por tentar favorecer ex-prefeito

Aldenor Gomes Moreira Júnior teria coagido e ameaçado vítimas de Cristóvão Tormin para tentar fazer com que elas não denunciassem os abusos sexuais

Correio Braziliense
postado em 12/08/2021 15:24 / atualizado em 12/08/2021 15:24
O ex-prefeito Cristóvão Tormin é suspeito de abuso sexual -  (crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
O ex-prefeito Cristóvão Tormin é suspeito de abuso sexual - (crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) denunciou, nesta quinta-feira (12/8), o ex-secretário de Aceleração do Crescimento de Luziânia, Aldenor Gomes Moreira Júnior, pela tentativa de favorecimento ao ex-prefeito da cidade Cristóvão Vaz Tormin, suspeito em casos de abuso sexual. Aldenor é suspeito de ter coagido, ameaçado e oferecido dinheiro a vítimas e testemunhas dos atos de Cristóvão Vaz Tormin. 

O ex-prefeito é investigado por importunação sexual contra dezenas de mulheres e por improbidade administrativa. Ele foi afastado do cargo em fevereiro de 2020. Aldenor teria coagido as vítimas a não denunciarem os crimes entre outubro de 2019 e março de 2020. 

Na denúncia, o MP cita, pelo menos, quatro situações em que foram verificadas os crimes cometidos pelo ex-secretário. Ele teria oferecido dinheiro ao marido de uma das vítimas, que é dependente químico, para que convencesse a esposa a não denunciar. Em outro caso, teria pedido à irmã de uma das vítimas para que ela induzisse a retirada do depoimento prestado. O ex-secretário ainda teria ameaçado expor a mulher simulando um relacionamento dela com o prefeito. 

Em outro caso de ameaça, Aldenor Gomes Moreira Júnior teria dito para uma vítima que ela deveria ter cuidado ao atravessar a rua. Por fim, ele teria tentado saber o conteúdo do depoimento de uma das vítimas. 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE