OBITUÁRIO

O adeus ao DJ Lauro Montana

» ANA MARIA POL
postado em 11/10/2021 20:29
 (crédito: Reprodução/Redes Sociais)
(crédito: Reprodução/Redes Sociais)

A tristeza e a comoção marcaram o velório de Lauro Augusto Montana, 42 anos, conhecido produtor cultural, ator, diretor e professor de história em Brasília. Vestido de preto, um grande grupo de amigos e familiares do DJ esteve no cemitério Campo da Esperança ontem, para o último adeus. O artista manauara, que morava na 215 Sul havia 38 anos, deixa um grande legado para a cultura da capital federal.

Naquela quadra do Plano Piloto, Lauro Augusto fez amizades e iniciou uma carreira. “A história dele como DJ e conhecedor da cultura pop era algo que impressionava todo mundo. Ele era quase um erudito. Muito carismático, alegre, inteligente, falador, piadista, espirituoso. Em toda festa que tiver um DJ tocando em Brasília, Lauro será lembrado”, disse Leonardo Saraiva de Oliveira, 51, amigo do artista havia mais de 25 anos.

O DJ morreu no sábado, em casa. Alunos e colegas de Lauro Augusto na Escola Franciscana Nossa Senhora de Fátima, na Asa Sul, onde ele trabalhava como professor de história, estiveram no velório. “Os jovens que tiveram aula com ele tiveram sorte. Sempre foi uma luz e vai deixar um buraco enorme na cultura de Brasília”, lamentou o educador Lima Neto, 45, compadre e amigo do artista.


A tristeza e a comoção marcaram o velório de Lauro Augusto Montana, 42 anos, conhecido produtor cultural, ator, diretor e professor de história em Brasília. Vestido de preto, um grande grupo de amigos e familiares do DJ esteve no cemitério Campo da Esperança ontem, para o último adeus. O artista manauara, que morava na 215 Sul havia 38 anos, deixa um grande legado para a cultura da capital federal.

Naquela quadra do Plano Piloto, Lauro Augusto fez amizades e iniciou uma carreira. “A história dele como DJ e conhecedor da cultura pop era algo que impressionava todo mundo. Ele era quase um erudito. Muito carismático, alegre, inteligente, falador, piadista, espirituoso. Em toda festa que tiver um DJ tocando em Brasília, Lauro será lembrado”, disse Leonardo Saraiva de Oliveira, 51, amigo do artista havia mais de 25 anos.

O DJ morreu no sábado, em casa. Alunos e colegas de Lauro Augusto na Escola Franciscana Nossa Senhora de Fátima, na Asa Sul, onde ele trabalhava como professor de história, estiveram no velório. “Os jovens que tiveram aula com ele tiveram sorte. Sempre foi uma luz e vai deixar um buraco enorme na cultura de Brasília”, lamentou o educador Lima Neto, 45, compadre e amigo do artista.
 
 

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE