Vulnerabilidade

Entrega direta de leite ajuda famílias em estado de vulnerabilidade no Distrito Federal

Investimento de R$ 100 mil feito pelo GDF tem o objetivo de fomentar a agricultura familiar e aumentar a cadeia produtiva do produto

Correio Braziliense
postado em 25/10/2021 19:04
 (crédito: Tony Oliveira)
(crédito: Tony Oliveira)

Uma parceria entre o Governo do Distrito Federal (GDF) e pequenos produtores da capital tem proporcionado a inúmeras famílias alimentos básicos com a entrega direta de leite, que faz parte da lista de itens adquiridos pelo Programa de Aquisição da Produção da Agricultura (Papa-DF).

Obtido por representantes da agricultura familiar local, por meio de cooperativas, os produtos são distribuídos para entidades sociais do Distrito Federal. Algumas dessas cooperativas, são as cadastradas no Banco de Alimentos da Ceasa, no Sesc Mesa Brasil e, também, algumas famílias registradas na Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes).

A Secretaria de Agricultura tem previsão de obter mais de 25,6 mil litros neste ano. O alimento será distribuído para famílias em vulnerabilidade, contabilizando um investimento de R$ 100 mil feito pelo GDF. A escolha da cooperativa que compartilhará o produto foi realizada por meio de chamamento público, no início deste mês de outubro.

Interinamente no posto de diretor de Compras Institucionais da Secretaria de Agricultura, André Alves Santana, explica que o objetivo do projeto é fomentar a agricultura familiar e, mais ainda, a cadeia produtiva do leite, alimento de extrema importância no café da manhã de muitas famílias. “Fizemos aquisição desse produto no ano passado e foi um sucesso, tanto para os agricultores que participaram da ação quanto para os beneficiados”, conta o servidor.

Hellen de Paula Mota, diretora do Centro Comunitário da Criança, destaca que parcerias feitas para a entrega direta de leite são essenciais para auxiliar na manutenção das instituições e auxílio às famílias assistidas. A instituição, apenas em 2020, atendeu 80 famílias com a entrega do alimento, ajudando cerca de 360 pessoas.

Segundo ela, mesmo com as ajudas, os recursos financeiros recebidos são insuficientes para atender tantas demandas. “As doações do programa são essenciais para a oferta de uma alimentação adequada e saudável, enriquecendo as refeições oferecidas diariamente às crianças, impactando a vida dessas famílias”, diz.

Renata Silva do Nascimento, 25 anos, mãe de quatro crianças, uma delas recém-nascida, afirma que a chegada do produto veio em ótimo momento. “Chegou em boa hora, porque não é fácil ficar desempregada com três crianças em casa, ajudou bastante, espero que aconteça novamente este ano”, torce.

Alto valor nutricional

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição (SBAN), o leite de vaca possui 87% de água e 13% de outros componentes sólidos importantes, como cálcio, potássio, fósforo e vitaminas A e B. O alimento ajuda na formação da massa óssea, crescimento e fortalecimento do sistema imunológico e dos dentes.

“Por ter aminoácidos essenciais, o leite é um alimento com alto valor nutricional, podendo ser utilizado em diversas preparações, como vitaminas, bolos e mingaus”, acrescenta a nutricionista Áurea Araújo Lima.

O leite também chegou na hora certa na casa de Renata Cunha Coelho, 35 anos, mãe de três crianças. “Agradeço demais essa ajuda do governo, que chegou quando eu mais precisei, porque estava desempregada na época”, relata.

Preço justo

Cerca de 100 produtores de leite de uma cooperativa de Luziânia (GO), a Coopindaia, venderam o produto para o GDF dentro do Programa de Aquisição da Produção da Agricultura (Papa-DF). Presidente da entidade, Luciano Andrade de Carvalho explica que a cooperação com o governo garante a venda do produto por preço justo.

“É uma parceria muito interessante, porque temos um mercado certo e o preço é estável. Ou seja, nem sobe nem baixa, trazendo segurança para todos nós”, resume.

Além do leite, pelo menos 60 produtos, entre legumes, verduras e frutas fazem parte da lista do Papa-DF.

*Com informações da Agência Brasília

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE