Merecidas homenagens

Correio Braziliense
postado em 13/11/2021 00:01
 (crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)
(crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)

É expressivo o número de cantores, compositores, instrumentistas, grupos e bandas que contribuíram para incluir Brasília no mapa da música brasileira. Duas delas foram homenageadas na sexta edição do Prêmio Profissionais da Música (PPM), que ocorreu recentemente: a flautista Odette Ernest Dias e a cantora Cássia Eller. Cada uma em sua área, deu inestimável colaboração para que a capital federal ganhasse reconhecimento nacional no âmbito da mais popular das expressões artísticas brasileiras.

Odette, uma francesa que na década de 1960 deixou Paris para integrar a Orquestra Sinfônica Brasileira, 10 anos depois chegou à capital federal e aqui se juntou ao quadro de professores da UnB. Inquieta, não se ateve apenas às salas de aula. Em seu apartamento, na 311 Sul, comandava aos sábados, concorridas rodas de choro, que deram origem a um dos patrimônios brasilienses, o Clube do Choro; além de fazer shows memoráveis e gravar discos que hoje são objeto de estudo.

Reverenciada na cidade, desde a estreia na Sala Martins Penna do Teatro Nacional, Cássia ganhou popularidade ao cumprir longas temporadas no extinto Bom Demais, na 706 Norte. Ao radicar-se no Rio de Janeiro, em 1989, quase que de imediato alcançou o status de estrela do rock nacional. Vítima de problema coronário, quando estava no auge da trajetória musical, deixando uma saudade imensa e Chico Chico, o filho talentoso.

Nada mais justo, portanto, do que a celebração prestada a Odette e Cássia, no Prêmio Profissionais Música, idealizado pelo visionário produtor Gustavo Vasconcellos. Mesmo em tempos tão difíceis para a cultura no país, num ato de resistência, ele promoveu o evento que hoje repercute nacionalmente. Como a pandemia da covid-19 ainda é uma ameaça, o PPM nesta edição foi realizado no formato on-line e transmitido pelas plataformas digitais. Além da premiação de 121 artistas — entre os 1125 inscritos, de diferentes categorias —, houve 10 pockets shows, 10 lives, 23 exibições de vídeo-clipes e a apresentação de 11 workshops e oito painéis. Odette Ernest Dias foi festejada pelo filho e violonista Jaime Ernest Dias e o flautista Sérgio Moraes; enquanto que Cássia Eller recebeu tributo de Janete Dornellas e André Dias.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE