Golpe

E aí, o que fazer para não cair no golpe do boleto falso?

Com a facilidade de pagamentos eletrônicos, os golpistas se aproveitam para enganar as pessoas com o golpe do boleto falso. Saiba como evitar cair nesse golpe

Correio Braziliense
postado em 23/11/2021 20:46
 (crédito: (foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil))
(crédito: (foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil))

Nos dias de hoje, os pagamentos eletrônicos são os meios mais utilizados pela população brasileira para quitar suas dívidas e muitos golpistas aproveitam para aplicar o golpe do boleto. A prática envolve falsificação de cobranças para fazer com que o pagamento vá para a conta bancária do golpista. É cada vez mais comum o envio de notificações de pagamentos atrasados, os golpistas utilizam vários truques que vão desde a manipulação de código de barras até a criação de páginas falsas.

O advogado Afonso Morais, especialista no assunto, explica que o golpe é cada vez mais comum na internet. “Agora os bandidos estão montando call center e conseguindo informações de contratos de bancos, financeiras, lojas, escolas, operadores de telefone e TV a cabo, e agindo como se fossem as empresas de cobrança, ligando ou enviando mensagens para os devedores propondo acordos. O consumidor só se dá conta do golpe quando a própria empresa entra em contato cobrando a dívida”, diz. Ainda segundo o advogado, as fraudes com boletos falsos tiveram um acréscimo de 42% entre 2019 e 2021.

Ao ser cobrado por uma empresa, o consumidor sempre deve certificar que o boleto não é falso. “Nenhum credor faz redução de pagamento de 80% do débito como ocorre nas negociações fraudulentas, este é o atrativo para o devedor de qualquer tipo de boleto”, esclarece Afonso.

É recomendado ao consumidor que foi vítima de golpe procurar pela empresa que efetuou a cobrança ou o banco envolvido na fraude para tentar obter a quitação do débito. A vítima também deve registrar ocorrência juntando todas as provas da fraude para que a polícia investigue e possa prender os estelionatários.

O que os bancos fazem para prevenir os golpes?

De acordo com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), a Nova Plataforma de Cobrança (NCP) permite que o consumidor pague qualquer boleto vencido evitando fraudes. Por ano, são processados cerca de seis bilhões de boletos bancários e com a NCP cerca de R$ 450 milhões em fraudes foram evitadas.

Antes de efetuar o pagamento é preciso ter certeza que os dados do beneficiário estão completos. A Febraban alerta para o vírus bolware que permite alterar dados dos boletos e recomenda que as pessoas evitem imprimir os boletos. "Para evitar ser vítima desse tipo de golpe, a recomendação é solicitar que o emissor mande o arquivo no formato PDF, bem mais difícil de ser adulterado, e manter sempre um antivírus atualizado. Não imprimir o título, utilizando os dados que constam na versão digital, é outra forma de evitar cair nessa armadilha”, explicou em nota.

Saiba como se prevenir do golpe

O próprio consumidor pode identificar se o boleto é falso ou não com algumas características simples. Confira abaixo como se proteger do golpe:

1. Cheque os dados do boleto: Veja se os dígitos finais representam o valor do boleto, também verifique ainda se os primeiros dígitos do código de pagamento coincide com o código do banco que aparece como sendo o emissor do boleto;

2. Verifique a origem com o banco e financeira: Se o boleto é emitido por uma loja, pesquise a reputação da empresa em canais de atendimento ao cliente para se certificar que ela existe. Pelo CNPJ do boleto, cheque se ele é real por meio de uma consulta no aplicativo da Receita Federal para smartphone;

3. Prefira a leitura automática do código de barras: Em qualquer boleto, prefira sempre ler o código de barras pela câmera do celular ou no caixa eletrônico. Em geral, boletos com linha digitável adulterada não trazem código de barras compatível e precisam forçar a vítima a digitar a sequência manualmente para completar o golpe. Um documento com barras ilegíveis, portanto, têm maiores chances de ser fraudulento;

4. Baixe o boleto no site do credor: Sempre que possível, é importante baixar os boletos diretamente no site do banco ou da empresa que está fazendo a cobrança;

5. Certifique-se de que o site é seguro e evite wi-fi público: Ao fazer download do boleto no site do credor, evite também se conectar em redes públicas, que são mais suscetíveis a ataques no roteador capazes de falsificar páginas visitadas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE