Obituário

Morre, aos 89 anos, Flávio Di Pilla, pioneiro e juiz do TJDFT

Pioneiro, jornalista e advogado, Flávio morreu na manhã desta terça-feira (7/12) devido a complicações do Alzheimer, doença com a qual convivia há dois anos. Ele deixa três filhas e três netos

Correio Braziliense
postado em 07/12/2021 13:54 / atualizado em 07/12/2021 14:20
 (crédito: Arquivo Pessoal )
(crédito: Arquivo Pessoal )

Morreu, aos 89 anos, o juiz aposentado do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) Flávio Di Pilla. Ele partiu na manhã desta terça-feira (7/12) devido a complicações do Alzheimer, doença com a qual convivia há dois anos. Ele deixa três filhas e três netos, além da esposa, Isabel Di Pilla, 63 anos. O velório e o enterro de Flávio estão marcados para quarta-feira (8/12), a partir das 13h, no cemitério da Asa Norte. Ele será enterrado na ala dos pioneiros, junto aos pais. 

Amigo próximo da família, Maurício da Silva afirma que Flávio fará falta. Segundo ele, o juiz era apaixonado pelo trabalho e exerceu a profissão até o momento em que a doença o impedia. "Mesmo depois de aposentado, ele era voluntário no TJDFT para conciliação. Trabalhou até quando pode. Fez muitos trabalhos sem cobrar honorários, mas o Alzheimer tirou ele da profissão", comenta. 

"Era uma pessoa muito querida por todos. Todo mundo que o conheceu sentiu muito a perda", completa Maurício. As três filha de Flávio moram no exterior e já foram informadas da morte do pai. 

Casada com Flávio há 21 anos, Isabel comenta como o marido era apaixonado por Brasília. "Chegou aqui em 1960 para cobrir a inauguração de Brasília pelo jornal Última Hora e não foi mais embora. Passou no concurso para juiz, foi o primeiro colocado na turma dele", diz. Para ela, a história de Flávio é inspiradora. "Foi uma vida muito bonita". 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE