Investigação

Bombeiros encerram busca por mulher grávida e filha desaparecidas há 7 dias

As buscas foram feitas ao longo de 6 Km de distância seguindo o leito do rio e suas adjacências, escaneando em diferentes pontos de interesse, totalizando cerca de 332 mil m²

Adriana Bernardes
postado em 16/12/2021 10:37 / atualizado em 16/12/2021 10:47
 (crédito: Arquivo pessoal)
(crédito: Arquivo pessoal)

As equipes do Corpo de Bombeiros encerraram, na manhã de desta quinta-feira (16/12), as buscas por mãe e filha desaparecidas há sete dias. As duas vivem em Ceilândia, no Distrito Federal, e foram vistas pela última vez descendo em direção a um córrego próximo de onde vivem, no Sol Nascente. Shirlene Ferreira da Silva tem 38 anos, é casada e, além Tauane Rebeca da Silva, 14, tem outro filho, de 12 anos.  

De acordo com a corporação, as buscas foram feitas ao longo de 6 Km seguindo o leito do rio e suas adjacências, explorando diferentes pontos de interesse, totalizando cerca de 332m² de varredura. "Nossas equipes, apesar de todos os esforços, não encontraram nenhum indício das vítimas, finalizando as buscas e passando a acompanhar as investigações da polícia, caso tenhamos alguma nova informação e necessidade, retomaremos a operação de busca e resgate", informou em nota.

 13/12/2021. Crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press. Brasil.  Brasilia - DF. Cidades. Sem pistas, bombeiros entram no 5º dia de buscas por mãe e filha desaparecidas. Shirlene Ferreira da Silva, 38 anos, e Tauane Rebeca da Silva, 14, estão desaparecidas desde a última quinta-feira (9/12). Bombeiros não têm pistas do paradeiro das duas.
13/12/2021. Crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press. Brasil. Brasilia - DF. Cidades. Sem pistas, bombeiros entram no 5º dia de buscas por mãe e filha desaparecidas. Shirlene Ferreira da Silva, 38 anos, e Tauane Rebeca da Silva, 14, estão desaparecidas desde a última quinta-feira (9/12). Bombeiros não têm pistas do paradeiro das duas. (foto: Carlos Vieira/CB)

Durante as buscas, os militares atuaram com militares por terra, mergulhadores, cães farejadores e drones. "Realizamos buscas do amanhecer até o entardecer diuturnamente, no intuito de localizar a senhora e sua filha, que segundo informações do solicitante, foram em direção ao córrego situado nas proximidades da chácara Gilearde, número 109, Região do Sol Nascente/Ceilândia e não regressaram".

Investigação

O caso é investigado pela 23ª Delegacia de Polícia (Ceilândia). Em entrevista ao Correio na quarta-feira (15/12), o delegado chefe-adjunto, Vander Braga informou que as câmeras de segurança de uma casa que poderia ter registrado Shirlene Ferreira da Silva, 38 anos, e Tauane Rebeca da Silva, 14, entrando na mata ou pegando outro caminho pararam de funcionar dois dias antes do desaparecimento das duas. “Na terça-feira (7/12), houve uma queda de energia e elas pararam de gravar”, disse.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE