Violência /

Estudante morre esfaqueado

Suspeito tentou assaltar a vítima, Gabriel Gomes Barbosa, 24 anos, ontem, em Ceilândia. Jovem havia saído da escola e andava de bicicleta, quando foi atacado, mas conseguiu se desvencilhar. Após alguns metros, ele caiu no chão sem vida

Pedro Marra
postado em 17/03/2022 00:01
 (crédito: PCDF/Divulgação)
(crédito: PCDF/Divulgação)

O estudante Gabriel Gomes Barbosa, 24 anos, foi assassinado ontem, por volta das 13h, após uma tentativa de assalto na QNN 37, em Ceilândia Norte. O suspeito não conseguiu levar nada. O jovem estudava no Centro de Ensino Médio 7 (CED 07). Ele saiu de uma aula pela manhã e estava a caminho da casa da mãe de bicicleta, levando uma mochila, com material escolar, carteira e dinheiro, quando foi atacado pelo criminoso. Vídeos de câmeras de segurança registraram o momento em que o suspeito tenta assaltar a vítima, que conseguiu fugir, mas, após cerca de 100 metros, cai na bicicleta. O Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) confirmou a morte no local.

Um morador da QNN 13 testemunhou parte do crime e relata que um motoboy de aplicativo de entrega foi a primeira pessoa a prestar socorro à vítima. "Ele achou o rapaz caído e chamou a polícia", recorda-se. "Depois do crime, o criminoso desceu a rua e fugiu", conclui.

Na avaliação do delegado-adjunto da 19ª DP (Ceilândia Norte), Thiago Peralva, o fato de Gabriel estar com fone de ouvido demonstrou desatenção da vítima. "Provavelmente, ele estava ouvindo música e distraído", analisa. O investigador esclarece que assaltos são comuns na região. "Nesse tipo de crime, o suspeito sai andando em via pública e espera uma oportunidade em que vê a chance de subtrair um bem patrimonial", detalha o delegado.

Insegurança

Moradora da QNN 37, a dona de casa Edna Silva, 53, conta que há muitos pedestres no local. Para ela, falta policiamento, principalmente entre 13h e 15h, quando a pista fica pouco movimentada. "Acho que nesses horários poderia ter a polícia passando aqui de vez em quando, porque foi a oportunidade que esse cara teve", finaliza.

O suspeito está foragido da Polícia Civil do DF (PCDF). Para denúncias anônimas, a corporação disponibiliza o telefone 197 opção 0 (zero), o e-mail denuncia197@pcdf.df.gov.br e o WhatsApp (61) 9 8626-1197.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE