A força de Ceilândia

Correio prepara caderno especial que celebrar os 51 anos da cidade. Confira também o hotsite com notícias da região

José Carlos Vieira
postado em 23/03/2022 00:01
 (crédito:  Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
(crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

O Correio publica, no próximo domingo, um caderno especial em homenagem aos 51 anos de Ceilândia. As histórias e a relação afetiva dos moradores com a cidade serão destaque nas reportagens. São depoimentos emocionantes que se misturam ao crescimento e à relevância de uma das principais regiões administrativas do Distrito Federal, com mais de 470 mil habitantes, segundo dados da Companhia de Planejamento do DF (Codeplan).

Até o dia 27, um hotsite especial divulga informações variadas sobre a cidade, que tem uma vocação para o comércio e também para a cultura, sem se esquecer do esporte. Pelas redes sociais do jornal, moradores declaram seu amor a Ceilândia, que tem uma economia própria, independente do Plano Piloto ou outra cidade da região. Entre esses ceilandenses apaixonados pela cidade, está X, o rapper do Câmbio Negro — grupo reconhecido em todo país por sua letras fortes que retratam as mazelas da quebrada, mas reforçam a identidade de luta e de resistência dessas comunidades.

"Se não fosse Ceilândia, não existiria Brasília", destaca X, nascido e criado em Ceilândia Norte. Ele reage ao estigma de que a cidade é violenta, apesar de reconhecer que o Estado falha nas ações de infraestrutura, como saúde e educação. "Não fale mal da minha quebrada", ressalta, com um sorriso de orgulho. Confira entrevista completa acessando o QR code ao lado.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE