À QUEIMA-ROUPA

Correio Braziliense
postado em 23/03/2022 00:01

Você ficou surpreso com a decisão do União Brasil de dar a presidencia regional para o advogado Manoel Arruda?

Não só eu fiquei surpreso, como todo mundo do meio político. Como é que deixa para trás uma pessoa com quatro mandatos de federal, que concorreu a duas majoritárias? Fui preterido por um advogado que não tem nenhuma experiência política, não se candidatou nem a síndico de prédio. Isso deixa realmente todos nós pensativos e deve existir uma razão muito forte para isso. O que imagino é que o ministro da Justiça, com as ricas informações que tem a respeito do Luciano Bivar e do Antonio Rueda, com certeza influenciou bastante.

Por que não topou ficar mesmo sem o comando?

Não topei ficar no partido sem o comando porque não faz sentido eu ser presidido por alguém que não tem experiência no mundo político. Não faz sentido eu ficar num lugar onde, como todo mundo sabia, era eu quem tinha densidade política.

Manoel Arruda diz que o partido aposta na candidatura de Reguffe. Você acredita?

O Manoel Arruda aposta na candidatura do Reguffe porque eu trabalhei essa candidatura dentro do União. Então, na verdade, é o único caminho que resta ao Reguffe, ficar no União e fazer a sua candidatura ao Governo do Distrito Federal. Tem tempo de televisão, terá um bom dinheiro para fazer a sua campanha e isso evidentemente o Reguffe não iria desprezar. Isso não foi construído pelo Manoel Arruda não. Foi construído por mim, que conversei diversas vezes com o Reguffe sobre a vinda ao para o partido.

Seu caminho é o PL?

Se o meu caminho é o PL, confesso que não sei responder agora. Tenho recebido convites de quase todos os partidos, do PSDB, PP, do próprio PL, do Avir, do PTB… Enfim, quem sabe de política sabe que meu nome é competitivo para a disputa a deputado federal. Quem não entendeu isso foi o União.

O PL está com Ibaneis. Você vai apoiar a reeleição do governador?

O PL está com Ibaneis. É verdade. Agora pergunta se eu vou apoiar o Ibaneis na reeleição… De forma alguma. Não sou obrigado a apoiar o governador Ibaneis. Vou apoiar o presidente Bolsonaro. Por isso, preciso conversar direitinho. Não posso esquecer o que Ibaneis fez comigo na eleição, com a ajuda de um juiz. Me condenaram faltando quatro dias para a eleição. Todo mundo sabe que sem essa condenação o resultado da eleição seria outro. Eu vou muito pelo ditado chinês: se você me trair uma vez, a culpa é sua.
Mas, se você me trair duas
vezes, a culpa é minha.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE