ANIVERSÁRIO

Mocotó com rock: a diversidade na Feira Central de Ceilândia

Símbolo da cidade, o centro comercial reúne 465 bancas e atrai milhares de pessoas entre quarta-feira e domingo

Correio Braziliense
postado em 27/03/2022 05:01
 (crédito: Arquivo Pessoal)
(crédito: Arquivo Pessoal)

A Feira Central de Ceilândia é uma grande concentração de energia dentro do organismo da cultura do DF. Símbolo da cidade, o centro comercial reúne 465 bancas e atrai milhares de pessoas entre quarta-feira e domingo, interessados pela variedade de produtos ofertados e pela culinária perfeita para os apreciadores da comida nordestina. Aos fins de semana, o movimento chega a 5 mil pessoas.

Filho de pai cearense e mãe piauiense, Francisco Pinho de Souza, o Chiquinho, começou a trabalhar na feira com o pai, ainda nos anos 1980. Hoje, ele tem uma banca própria, aberta em 1996, cuja especialidade é o mocotó, "comida forte, que dá sustância", como ele descreve. "Muita gente vem à feira no domingo de manhã, depois da farra, para comer não só o mocotó, mas também o sarapatel, dobradinha, cuscuz… é a cura da ressaca", conta o feirante.

Confira o especial Ceilândia 51 anos

Chiquinho é fã de rock, ritmo que pode ser escutado numa caixa de som no seu ponto de venda, chamado Rei do Mocotó, no qual emprega mais duas funcionárias. O forró, claro, também entra na trilha sonora. "O que temos aqui, em termos de cultura, é na base da luta. Espero que um dia isso mude e tenhamos mais espetáculos de música e teatro na cidade."

*Estagiário sob a supervisão de José Carlos Vieira

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE