Investigação

Casal que morreu em incêndio no DF era tranquilo, dizem vizinhos

Segundo parentes, o casal estava junto há 12 anos. A família não desconfiava de problemas entre eles. Os dois foram encontrados carbonizados após os bombeiros apagarem o incêndio que consumiu a casa

Júlia Eleutério
postado em 31/03/2022 11:24
Casal foi encontrado carbonizado após incêndio na casa em que morava, em Sobradinho -  (crédito: Ed Alves/CB)
Casal foi encontrado carbonizado após incêndio na casa em que morava, em Sobradinho - (crédito: Ed Alves/CB)

Descrito como um casal tranquilo, os vizinhos ficaram surpresos com a tragédia que ocorreu, na noite desta quarta-feira (30/3), em uma casa na Quadra 3 de Sobradinho. Os corpos do marido e da esposa foram encontrados carbonizados dentro de um cômodo da residência, após o Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) ser acionado para conter as chamas no local.

A rua, que costuma ser calma, amanheceu com grande movimentação de perícia da Polícia Civil do DF (PCDF) e parentes que chegaram desolados com a fatalidade. O casal estava junto há cerca de 12 anos, segundo familiares que disseram não ter desconfiado que havia algo errado na relação dos dois.

Uma vizinha, que não quis se identificar, contou que não ouviu barulho de discussões na noite do crime. "Vi a movimentação na rua pelas câmeras de segurança e, quando saí, já tinha vários carros dos Bombeiros e as crianças estavam sentadas no meio fio, em frente a casa", comentou a moradora da rua.

Ela destacou também que o casal morava no local há pouco tempo e a mulher costumava ficar na calçada enquanto os filhos, de 11 e 7 anos, brincavam na rua. "Não conhecia eles, apenas de vista. Mas pareciam um casal tranquilo", recordou a vizinha.

Morando de aluguel, o casal se mudou para a casa, em Sobradinho, em agosto do ano passado. A locadora do imóvel contou que, até dezembro, não havia queixas de discussões entre o casal. "Acredito que, em janeiro, começaram as brigas", ressaltou a mulher, que não quis se identificar. "Queimou tudo lá dentro", lamentou a locadora.

  • A rua, que costuma ser calma, amanheceu com grande movimentação de perícia da Polícia Civil do DF (PCDF) e parentes que chegaram desolados com a fatalidade
    A rua, que costuma ser calma, amanheceu com grande movimentação de perícia da Polícia Civil do DF (PCDF) e parentes que chegaram desolados com a fatalidade Foto: Ed Alves/CB
  • A rua, que costuma ser calma, amanheceu com grande movimentação de perícia da Polícia Civil do DF (PCDF) e parentes que chegaram desolados com a fatalidade
    A rua, que costuma ser calma, amanheceu com grande movimentação de perícia da Polícia Civil do DF (PCDF) e parentes que chegaram desolados com a fatalidade Foto: ED ALVES/CB/D.A.Press
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE