INFLUENZA

Vacinação contra gripe para idosos e profissionais da saúde

Paulo Martins*
postado em 04/04/2022 00:01

Começa hoje a 24ª Campanha Nacional de Vacinação contra o vírus influenza, causador da gripe. A primeira etapa da ação contempla pessoas com mais de 60 anos e trabalhadores da saúde. Os grupos serão atendidos até 3 de junho. No Distrito Federal, o público-alvo total é composto por 1.086.547 pessoas — 35% da população total. 

A intenção da Secretaria de Saúde (SES-DF) é vacinar, ao menos, 90% da parcela que consta na primeira fase. A segunda começa em 3 de maio e termina no mesmo dia que a etapa atual. O público desse estágio será de crianças dos 6 meses aos 5 anos; gestantes e puérperas; indígenas; professores; pessoas com deficiência; caminhoneiros; cobradores e motoristas do transporte rodoviário; imunossuprimidos; integrantes das Forças Armadas, de segurança e de salvamento; funcionários do sistema carcerário; e adolescentes em condição socioeducativa.

Pelo fato de a campanha contra a gripe ocorrer simultaneamente à de vacinação contra a covid-19, a SES-DF orienta que haja prioridade na imunização contra o vírus que provocou a pandemia e que vale para pessoas a partir dos 5 anos. A pasta orienta que haja intervalo de 15 dias entre uma aplicação e outra para o público infantil. No caso de idosos com mais de 80 anos, o ideal é aguardar 48 horas. Para os demais públicos, não há diretrizes específicas nesse sentido.

A infectologista Ana Helena Germoglio comenta os possíveis efeitos das doses contra o vírus influenza e o Sars-CoV-2, pois ambos causam doenças respiratórias com sinais similares. "Qualquer vacina pode dar reações, principalmente em crianças. Febre, dor no corpo ou no lugar da aplicação e vermelhidão são algumas delas. Apesar da possibilidade de sentir esses efeitos, grande parte das pessoas não tem nada, porque a vacina é segura e eficaz", destaca. A médica lembra que a semelhança entre as duas enfermidades exige testagem para confirmação do diagnóstico.

Para esta primeira etapa da campanha contra a gripe, o DF tem mais de 95 mil doses. Elas serão enviadas semanalmente pelo Ministério da Saúde ao longo das fases de atendimento. Em 2021, o Distrito Federal não atingiu a meta de cobertura e imunizou 67% do público-alvo. A baixa cobertura fez com que 406.235  imunizantes (39% dos disponíveis) não fossem usados. O foco na pandemia seria o motivo por trás do esquecimento da população; mas a alta de casos da doença no último verão acendeu o alerta para os riscos da enfermidade. "Sabemos que se deve dar atenção, pois tivemos casos do (vírus) influenza em um período não esperado e vivemos uma epidemia dentro de uma pandemia", lembra Ana Helena.

*Estagiário sob a supervisão de Jéssica Eufrásio

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE