SOL NASCENTE

FINANCIAMENTO DE IMÓVEL

Correio Braziliense
postado em 05/04/2022 00:01

A dona de casa Valéria Aparecida Moreira Venâncio, de 37 anos, moradora de Ceilândia, conta que há 10 anos vive com um problema na Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab). O transtorno é causado por um financiamento de um apartamento o qual sua família foi contemplada, no Sol Nascente. "Os juros de obra têm efeito: a proporção é do percentual de construção. Cobraram R$ 51 mil de entrada, de acordo com esse efeito. O que foi prometido como algo de custo zero é para quem tem condição de proceder com a construção, algo que não posso", afirma. Hoje, Valéria mora em um apartamento com o marido e o filho, que sofre de má formação dos órgãos e teve paralisia. "Não consigo trabalhar desde que tive meu filho. Pago R$ 1.200 de aluguel para ele estar bem. Quero apenas dignidade", descreve.

A Codhab informa que não é responsável por ditar as regras de financiamento. O sistema que trata do financiamento da casa própria é complexo e dessa forma a aprovação ou reprovação de candidato pelos agentes financeiros possuem diferentes níveis, conforme fundo de financiamento, grupo ou faixa de renda, juros e subsídios oferecidos pela União. Ainda há que se considerar que, conforme a idade do beneficiado, as regras de financiamento são alteradas.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE