VIOLÊNCIA

Preso por tentar assaltar ministro

Darcianne Diogo
postado em 07/04/2022 00:01

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) prendeu, ontem, Leandro Roges Silva Vieira, 28 anos, segundo acusado de invadir a casa do ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Benjamin Zymler e apontar uma arma para a cabeça dele durante tentativa de assalto, em dezembro do ano passado. Ele e o comparsa, Lucas Gabriel Gonçalves, 26, têm inúmeras ocorrências por roubos e condenações que somam mais de 15 anos de prisão.

Em sessão plenária do TCU, o ministro elogiou e agradeceu o trabalho dos policiais da 10ª DP. "Pude acompanhar todas as tratativas e as ações tendentes a buscar o esclarecimento do crime. E isso vai permitir que a Justiça seja implementada. Isso é emblemático, já que demonstra aos moradores do Distrito Federal que eles podem contar com essa prestigiosa instituição, e que nos dá um sentimento de confiança e orgulho", afirmou.

O caso

A tentativa de assalto aconteceu em 4 de dezembro de 2021, na residência do ministro, no Lago Sul. Zymler estava no gabinete quando os criminosos entraram armados pela porta dos fundos da casa e o renderam, com uma arma apontada para a cabeça. Os acusados trancaram ele e a filha, que também estava na residência, no quarto dela. "O cachorro começou a latir, e o segurança da casa estranhou e os flagraram, momento em que os dois empreenderam fuga", afirmou o delegado à frente do caso, Tiago Carvalho, da 10ª Delegacia de Polícia (Lago Sul).

O primeiro envolvido, Lucas Gabriel, foi capturado no Nordeste em janeiro deste ano, por policiais da 10ª DP. Ele morava em São Sebastião e, depois do crime, fugiu para Central do Maranhão, um município distante cerca de 200km da capital maranhense. Lucas responde a outros crimes, incluindo violência doméstica e tentativa de homicídio.

Já o segundo suspeito foi detido, ontem, em Águas Lindas de Goiás. Leandro Roges Silva Vieira estava em regime semiaberto e ficava no Centro de Progressão Penitenciária (CPP). Ao ser beneficiado com o saidão, em 14 de novembro do ano passado, não retornou à unidade prisional e passou a ser considerado foragido. Desde 2012, ele responde, ao menos, a cinco processos, todos por roubo. Ele já foi condenado a sete anos e quatro meses de prisão em uma ocasião e, em outra, a oito anos. "Com a chegada dos policiais, o autor tentou fugir pulando o telhado da residência, mas acabou sendo alcançado e preso", detalhou Tiago Carvalho.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE