Susto /

Marinha investiga incidente no Lago

Festa que aconteceu no último domingo foi interrompida após um barco com 100 pessoas encalhar. Responsável pelo evento diz que todas as medidas de segurança foram cumpridas e que não houve riscos. Forte chuva pode ter influenciado o ocorrido

Ana Maria Pol
postado em 12/04/2022 00:01
 (crédito:  Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
(crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

"Foi um susto, fiquei muito tensa." O relato é da influenciadora digital e professora Hellen Virgini, 47 anos, que viveu momentos de tensão, na noite do último domingo, quando uma festa numa embarcação, no Lago Paranoá, quase acabou em tragédia. Hellen foi uma das 100 pessoas que participaram do evento Influencers a Bordo, organizado pela empresa Dato Marketing a Bordo. Ontem, em vídeo, o CEO da empresa, Isaac Dato, reiterou que todas as medidas de segurança foram adotadas e respeitadas durante o evento. De acordo com a Marinha do Brasil, um inquérito administrativo será instaurado para apurar as causas, circunstâncias e responsabilidades do incidente.

A festa, que começou por volta das 9h, tornou-se um pesadelo após o início das chuvas intensas, na noite de domingo. "Começou uma chuva muito forte, de granizo e, naturalmente, todas as pessoas foram para o fundo do barco, para a parte coberta, com o intuito de se protegerem da chuva. Isso fez com que o barco encalhasse e virasse", explicou Isaac. O fato ocorreu próximo ao clube Bay Park e ao Motonáutica. Segundo a equipe de socorro do Corpo de Bombeiros, a embarcação estava encalhada há cerca de 15 metros da margem do lago.

"Em momento algum o barco afundou", garantiu o CEO. De acordo com Isaac, a equipe de socorristas e os bombeiros que participaram do resgate deu as orientações para gerir a situação, além de garantir que todos estivessem bem e com vida. "Eu fui um dos últimos a sair do barco, porque não iria permitir que alguém saísse sem estar bem. Nós cumprimos todas as regras de segurança, sobre quantidade de pessoas, com colete salva-vidas para todos. A Marinha esteve no começo e no meio do evento, conferindo tudo que era necessário. Não abrimos mão de cumprir os protocolos de segurança desde o começo", ressaltou.

Apesar do susto, a festa, que teve a participação do DJ Jesus Luz, ex-namorado de Madonna, e da ex-Big Brother Brasil 17 Elis Nair não acabou em tragédia. Todos os ocupantes foram resgatados e levados até o clube Motonáutica. Ao desembarcarem, foram avaliados. Ninguém precisou de atendimento hospitalar. Hellen Virgini, uma das convidadas, recorda o momento. Ela conta que não sabe nadar e precisou ser acalmada por pessoas do local. "Os momentos de tensão foram na hora da chuva, que foi bem grossa. Mas todos me ajudaram, me acalmaram", ressalta.

Para Hellen, a festa foi bem organizada, o que evitou que o incidente resultasse em vítimas. "No meu entendimento, eles fizeram todos os procedimentos de segurança. O salva-vidas mostrou onde ficava cada coisa, mostrou tudo, no início do evento. Eu costumo ser bem medrosa, mas me senti segura", diz. Em nota, o Comando do 7º Distrito Naval da Marinha do Brasil informou que a Capitania Fluvial de Brasília foi acionada durante o ocorrido. "Os militares atuaram conjuntamente com o Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal e o Batalhão da Polícia Militar Ambiental do Distrito Federal no socorro aos passageiros", reiterou.

Embarcação

Ainda ontem, a embarcação voltou à ativa, segundo o proprietário e empresário João Santo Neto, 47. "O barco está em perfeitas condições, pronto para voltar a navegar. Não aconteceu nada demais, foi uma fatalidade. Como caiu um temporal muito grande, todas as pessoas foram para um canto do barco, acabou molhando uma vela do motor, ele se desligou, ficou à deriva, e acabou encalhando", explicou.

O tenente do Grupamento de Busca e Salvamento do Corpo De Bombeiros Militar, Lucas Oliveira Moura, explica que um dos principais cuidados a se ter em embarcações para se evitar naufrágios, por exemplo, é a atenção à capacidade máxima do barco. "Nunca devemos exceder esse número. Além disso, é importante ver se há equipamentos necessários, como colete, boia circular e extintor de incêndio. Isso varia de embarcação para embarcação, mas o condutor deve saber o que é necessário", diz.

No caso do último domingo, a chuva foi um fator determinante para a situação ocasionada. Por isso, o tenente reitera que as condições climáticas devem ser, sempre, avaliadas pelo condutor. "A navegação não é proibida em caso de chuva, mas é a mesma coisa quando dirigimos um carro. Temos que nos ater à segurança. Se as condições climáticas não oferecerem segurança, o passeio deve ser suspenso."

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE