Investimentos /

Foco em obras e assistência social

Secretário de governo do DF, José Humberto Pires elencou, ontem, ao CB.Poder, as inaugurações que vão facilitar a mobilidade na capital federal. O gestor destacou que programas de alimentação básica são prioridades

Eduardo Fernandes*
postado em 12/04/2022 00:01

Cerca de 1.600 obras entregues e R$ 4.5 bi em investimentos. Esse foi o balanço apresentado pelo secretário de governo do Distrito Federal, José Humberto Pires, ontem, ao CB.Poder — programa do Correio em parceria com a TV Brasília. Em conversa com a jornalista Ana Maria Campos ele falou das inaugurações recentes e dos impactos para a cidade. "Ontem inauguramos a descida do aeroporto para o eixão. Tinham duas pontes antigas, que não funcionavam, mas demos funcionalidade. No domingo foi a pista da Hípica, que dá para o Hospital Veterinário, e no sábado entregamos campos sintéticos", comentou. Ele também lembrou que, na última sexta-feira, duas mil unidades habitacionais foram inauguradas na região do Itapoã.

Além das entregas, o secretário anunciou obras que estão em andamento ou em projeto, como a do complemento no balão da rotatória, no Riacho Fundo II e importantes obras de mobilidade em Taguatinga e no Recanto das Emas. "Na Hélio Prates, construiremos uma avenida maravilhosa em três etapas. Ela integrará Taguatinga, Ceilândia e Sol Nascente. No Recanto, teremos o viaduto que será importante para destravarmos o fluxo na região", elencou.

Ainda sobre a região de Taguatinga, Pires mencionou a proposta do túnel da cidade, que estava engavetado há alguns anos. De acordo com ele, a inauguração do local reformado está prevista para julho.

Na área da saúde, Pires ressaltou investimentos importantes e a construção de sete Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e nove Unidades Básicas de Saúde (UBS). Recentemente, o Hospital da Ceilândia passou por revitalização. Ele informou que, adiante, as melhorias estarão voltadas para os hospitais de Planaltina, de São Sebastião e do Guará. "A Secretaria de Saúde está planejando, também, as reformas no Hospital do Gama, que é muito importante", destacou.

Trabalhos sociais

O secretário expôs a preocupação com o aumento da população em situação de vulnerabilidade na capital federal. Um levantamento da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), em 2018, contabilizou aproximadamente 1.300 pessoas em situação de rua. Hoje, o número estimado é de mais de 3.800. Pires falou dos esforços combinados de programas governamentais que, atualmente, atendem pessoas em situação de rua e catadores de lixo. "O governo fez e está fazendo um trabalho forte, o Cartão Prato Cheio, que é um programa da área social, beneficia com R$ 250 cerca de 40 mil famílias. O DF Social, que é um complemento, alcança, também, 70 mil pessoas", comentou.

Para ele, a ampliação do atendimento dos restaurantes comunitários é fundamental para parcela da população carente. Ele reconhece que o crescimento da demanda e a busca das famílias por alimentação fez com que novos espaços fossem priorizados. "Lançamos o do Sol Nascente, estamos inaugurando o do Itapoã, e faremos cinco restaurantes novos. Acabamos de lançar o de Arniqueira, que ficará maravilhoso. Todos esses restaurantes comunitários são para atender essa comunidade que precisa do apoio do governo nesse momento difícil", finalizou.

*Estagiário sob a supervisão de Juliana Oliveira

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE