GDF vai anular PPP do Centrad e assumir o complexo

Correio Braziliense
postado em 14/04/2022 00:01

O governador Ibaneis Rocha (MDB) vai anular a PPP que deu origem ao Centro Administrativo em Taguatinga (Centrad). Ele acatou a avaliação de uma comissão, criada há dois anos, que analisou detalhadamente a concessão do empreendimento para o consórcio formado pela Via Engenharia e pela Odebrecht. O Governo do DF deverá ficar com o complexo erguido em Taguatinga e pagar uma indenização para a iniciativa privada. Pelo modelo de negócio, o GDF não investiu recursos próprios. O dinheiro saiu de um financiamento da Caixa Econômica, e o Executivo local deveria pagar pela gestão dos prédios. Agora, Ibaneis aguarda o levantamento do valor da indenização para decidir um destino para o Centrad, que se tornou um elefante branco nos últimos anos.

PDT escala Leila para
entrar em campo

Depois de conversas com vários partidos, a senadora Leila Barros (DF) terá a pré-candidatura confirmada nesta segunda-feira pelo PDT. Leila se elegeu pelo PSB, migrou para o Cidadania, mas recebeu o abrigo dos pedetistas. Apesar do ato, com a presença de Ciro Gomes, candidato à Presidência pelo PDT, pode ser que Leila não vá até o fim. A senadora tem dois meses de treino antes de entrar em campo. As convenções ocorrem no fim de julho, começo de agosto. Leila terá esse tempo para ensaiar jogadas, pensar em táticas e escalar um time. Sozinha — ou apenas com o PDT — ela terá muita dificuldade para deslanchar. A aliados, Leila diz que quer um tempo de visibilidade para se firmar e, lá na frente, tomará uma decisão, ao lado do presidente nacional, Carlos Lupi, e de Ciro Gomes, que precisa de palanques regionais.

Sem o PT

Leila Barros poderia ser candidata ao governo em uma via mais centro-esquerda. Ele teria o apoio do PSB e do PT. Antes da senadora migrar para o Cidadania, Leila recebeu mensagens de que poderia conversar com Lula e seria bem-vinda em uma aliança do PT com o PSB, fortalecida agora com a chapa Lula-Alckmin. Leila, no entanto, avaliou, com base em pesquisas qualitativas, que a rejeição a Lula e ao PT, no DF, era alta. Ela, que já não tinha simpatia pelo PT, optou por uma via sem os petistas.

Troca do comando na PM tem ar de lançamento de candidatura

Solenidade de troca do comando da Polícia Militar do DF, na próxima terça-feira, vai se transformar no lançamento da candidatura do coronel Márcio Vasconcelos à Câmara dos Deputados. O foco é a posse do novo comandante-geral, coronel Fábio Augusto Vieira. Mas a transmissão do cargo será carregada pelo simbolismo. Vasconcelos deixa a função para o sucessor com o propósito de disputar as eleições pelo MDB. É uma das apostas do governador Ibaneis Rocha para
o Congresso.

Prudente
apoia Tebet

Nesta semana, a senadora Simone Tebet (MDB) recebeu o apoio formal de 11 presidentes regionais do partido em torno de sua pré-candidatura à Presidência, depois do jantar na casa do ex-senador Eunício Oliveira, que reuniu vários emedebistas. Entre os que apresentaram apoio está o presidente do MDB-DF, Rafael Prudente. Uniu-se às executivas do Paraná, do Tocantins, do Acre, de Goiás, de Minas Gerais, do Rio Grande do Sul, do Rio de Janeiro, do Mato Grosso, de Pernambuco e de Santa Catarina.

Coordenador do PL

Primeiro presidente do PL em Brasília e um dos fundadores do partido, o advogado Antônio Gomes, procurador de Justiça do DF aposentado e ex-presidente da Terracap, voltou à legenda e é um dos coordenadores políticos das campanhas do presidente Jair Bolsonaro em Brasília e de Flávia Arruda ao Senado. Deixou o PSD de Paulo Octávio pelo PL do casal Arruda. Gomes trabalhou como articulador em Brasília da candidatura de Guilherme Afif Domingos à Presidência da República em 1989. E, em 1990, ajudou a eleger os deputados distritais José Ornelas e Jorge Cauhy. Agora, 32 anos depois, aposta que o PL fará três deputados federais e seis distritais. Missão dura com as regras atuais.

Brasília, 62 anos

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa prepara uma grande festa para celebrar os 62 anos de Brasília, depois de dois anos de interrupção das comemorações presenciais por conta da covid-19. Batizado com o nome Sorria, Brasília, o projeto comemorativo envolve amplo calendário de ações entre os dias 19 e 24 de abril. Serão realizados shows, mostras de cinema, exposições, feiras de economia criativa, espetáculos populares e apresentações de orquestras, como a Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro.

O risco da traição

Embora a janela partidária tenha terminado no início de abril, ainda existe muito flerte entre legendas e pré-candidatos, que ignoram a regra eleitoral. Alguns políticos que se filiaram a um partido na data limite continuam a ouvir propostas de outras legendas. Mas, como a traição é muito comum neste período, desta vez, o final da novela pode não ser tão feliz. Muitos partidos têm provas da assinatura de filiação dentro do prazo correto. E estão dispostos a, se precisar, apresentá-las no momento oportuno. Ou seja, pré-candidatos que teimarem em burlar as regras eleitorais e mudarem de partido após 1° de abril podem até ter legenda nas convenções partidárias, mas, certamente, correm grandes riscos de terem suas candidaturas impugnadas depois.

Campanha de sangue

O ex-deputado Roney Nemer teve uma melhora significativa no hospital DF Star, onde está internado. Ele sofreu uma hemorragia provocada por um corte na veia femural, durante cirurgia para implante de uma prótese. Ele foi extubado e está consciente. Na UTI, onde permanece sob cuidados médicos, Roney ficou emocionado ao saber que a campanha de doação de sangue lançada por sua família foi um grande sucesso.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE