Stalking /

"Sugar daddy" ameaça jovem

Funcionário público insistiu na retomada do relacionamento com mensagens intimidadoras. Ele foi indiciado por perseguição, ameaça e Maria da Penha

Darcianne Diogo
postado em 15/04/2022 00:01
 (crédito: Material cedido ao Correio)
(crédito: Material cedido ao Correio)

O funcionário público aposentado, de 57 anos, preso em flagrante pela Polícia Civil, na última quarta-feira, por ameaçar e perseguir uma estudante do Guará, de 27 anos, trocou mensagens em tom de chantagem com a jovem por cerca de dois meses. O Correio teve acesso ao diálogo, em que o homem insiste na retomada do relacionamento com áudios, mensagens intimidadoras e palavras de baixo calão. 

A universitária e o servidor se conheceram há cerca de dois meses por meio de um aplicativo em que homens mais velhos, conhecidos como "sugar daddy", ajudam financeiramente mulheres mais jovens em troca de encontros sexuais ou afetivos. Duas semanas atrás, a jovem decidiu dar um basta na relação. Durante a conversa no celular, o aposentado supõe que ela "deve estar se ajeitando com outro ou outros", diz.

Em seguida, a estudante se defende das ameaças. "Não quero mais nada, estou pedindo, por favor, que respeite a minha decisão", protesta. A vítima esclarece ao homem que não estava ofendendo. "Momento nenhum lhe ofendi com xingamentos e palavrões. Só peço que respeite a minha decisão", pede. Em outro momento, o servidor aposentado manda um vídeo de uma geladeira com bebidas chamando para encontrá-lo. "Vai devolver meu dinheiro todo, porque se não o bicho vai pegar para você", disparou.

O suspeito convida novamente a mulher para sair com ele. "Pode, por favor, sair comigo só mais uma vez? Faço um pix (de R$ 100) agora para te ajudar", sugere. A moça afirma também que vai bloquear o número do homem e pede para ele procurar outra pessoa. "Não quero mais nada com você. Qual a parte não ficou clara? Me deixe em paz. Estou me sentindo perseguida", questiona a vítima.

Chantageada

No depoimento à 4ª DP (Guará 2), que investiga o caso, a jovem contou que recorreu a essa alternativa para arcar com os custos da faculdade. Moradora do Guará, os dois se encontravam frequentemente e ela chegou a receber R$ 1,8 mil nesse período. Há cerca de 15 dias, no entanto, a estudante decidiu pôr um fim à relação, quando foi ameaçada e chantageada. "Ele falava que iria expor toda a situação aos parentes dela, caso ela terminasse", afirma o delegado da unidade, Guilherme Sousa Melo.

O aposentado conseguiu encontrar um comércio de propriedade de uma familiar da vítima. Na frente da loja, ele tirou uma foto da fachada do estabelecimento e enviou para o celular da estudante, em tom ameaçador. "A vítima, neste momento, ficou completamente horrorizada. Ele chegou a ir também na frente do prédio dela", ressaltou o delegado. Com medo, a jovem procurou a delegacia e foi perseguida pelo suspeito até a unidade policial. O aposentado pagou fiança de R$ 6 mil para ser liberado, mas, antes, foi indiciado por perseguição, ameaça e Lei Maria da Penha.

Colaborou Pedro Marra

  • Reprodução de conversas trocadas pelo WhatsApp entre servidor público aposentado do GDF, de 57 anos, e uma estudante de direito, de 27
    Reprodução de conversas trocadas pelo WhatsApp entre servidor público aposentado do GDF, de 57 anos, e uma estudante de direito, de 27 Foto: Material cedido ao Correio
  • Conversas trocadas pelo WhatsApp entre o servidor público e uma estudante de direito
    Conversas trocadas pelo WhatsApp entre o servidor público e uma estudante de direito Foto: Material cedido ao Correio
  • Reprodução de conversas trocadas pelo WhatsApp entre servidor público aposentado do GDF, de 57 anos, e uma estudante de direito, de 27
    Reprodução de conversas trocadas pelo WhatsApp entre servidor público aposentado do GDF, de 57 anos, e uma estudante de direito, de 27 Foto: Material cedido ao Correio

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE