Violência /

Jornalista será ouvido

Polícia vai colher depoimento de Gabriel Luiz, 28 anos. O morador do Sudoeste se recupera dos ferimentos de uma tentativa de latrocínio. Ele segue internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Brasília, sem previsão de alta

Darcianne Diogo
postado em 19/04/2022 00:01
 (crédito: Instagram/Reprodução)
(crédito: Instagram/Reprodução)

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) deve ouvir, ainda esta semana, o jornalista da TV Globo Gabriel Luiz, 28 anos, esfaqueado próximo ao condomínio onde mora, no Sudoeste, durante uma tentativa de latrocínio (roubo seguido de morte). O comunicador social se recupera dos ferimentos e segue internado na unidade de terapia intensiva (UTI) do Hospital Brasília, no Lago Sul, sem previsão de alta, segundo informações do boletim médico divulgado na tarde de ontem.

Ontem, os investigadores da 3ª Delegacia de Polícia (Cruzeiro) — unidade que investiga o caso — colheram o depoimento do vizinho de Gabriel, que viu o crime e gritou por socorro na janela de casa. "Solicitamos a perícia no celular do autor (já preso). A principal linha de investigação, até o momento, é o da tentativa de latrocínio", detalhou o delegado-adjunto da 3ª DP, Douglas Fernandes Moura.

Segundo a família do jornalista, Gabriel Luiz passou a noite de domingo para segunda bem, sob observação e sem alterações. O quadro de saúde é considerado dentro do esperado pela equipe médica. Conforme o boletim, o jovem continua lúcido, consciente e estável. "A família permanece confiante e agradece a solidariedade e apoio de todos", finaliza o comunicado.

Ontem, o namorado do jornalista fez uma homenagem ao parceiro por meio das redes sociais. Lucas Machado disse que está confiante na recuperação do jornalista. Em sua conta no Instagram, Lucas afirmou emocionado que era difícil não receber as mensagens do namorado, que Gabriel deixa o mundo melhor e sabe que ele vai melhorar por ser um apaixonado pela vida.

"Concretamente grave"

A juíza de direito substituta do DF Júnia de Souza Antunes converteu a prisão do acusado José Felipe Leite Tunholi, 19, de flagrante para preventiva. Segundo a magistrada, a prisão se fez necessária para "a manutenção da ordem pública, isso porque o crime cometido pelo autuado, em tese, foi concretamente grave." O documento foi assinado na manhã de domingo.

Na decisão, considerou a gravidade da conduta de José Felipe contra o editor da TV Globo para determinar que ele deixou a "vítima com diversas lesões graves, o que evidencia que o contexto fático que permeou a ação criminosa".

Na ata da audiência, a magistrada acrescentou que o crime cometido por José Felipe Leite Tunholi "extrapola a gravidade inerente ao tipo penal, existindo, portanto, justificativas objetivas para a permanência da custódia, diante da periculosidade e o risco de novas incursões". O acusado foi transferido para o Complexo Penitenciário da Papuda, por tempo indeterminado.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE