Decidido a entrar na disputa

Correio Braziliense
postado em 20/04/2022 00:01

O governador Ibaneis Rocha (MDB) deixou alguns pontos claros sobre as próximas eleições, durante entrevista ao programa CB.Poder, que foi ao ar ontem. Ele é realmente candidato à reeleição em uma frente ampla de partidos.
A movimentação já evidenciava essa pretensão. Mas agora Ibaneis foi incisivo. Disse que gosta de desafios e que sente o apoio da população nas ruas. Há dois anos, Ibaneis afirmou ao Correio, em entrevista, que não colocaria seu nome
numa disputa se sentisse a rejeição nas ruas.

Palanque para Bolsonaro

Na entrevista, Ibaneis disse que o presidente Jair Bolsonaro terá palanque garantido no DF porque em sua chapa há vários partidos da base bolsonarista, como o PP, PL e o Republicanos. E afirmou que entre Lula e Bolsonaro, estará com o presidente. Mas se a candidatura da senadora Simone Tebet (MDB-MS) vingar, Ibaneis ficará neutro na briga entre petistas e bolsonaristas. Este, para ele, seria o melhor cenário, segundo avaliam aliados.

Sem brigas
com Reguffe

Ibaneis não fez críticas ao senador José Antônio Reguffe (UB-DF), potencial adversário nas próximas eleições. Na verdade, fez elogios. Deixou o embate para a campanha ou não acredita na candidatura de Reguffe e conta no mínimo com a neutralidade dele em relação a seu mandato.

Vice no final

A escolha do vice ou da vice na chapa de Ibaneis à reeleição não depende apenas da vontade de Ibaneis, embora evidentemente ele tenha poder de veto e da palavra final. O governador disse que a escolha passa por uma composição política. Segundo aliados,
essa decisão será tomada nos últimos minutos do jogo. Quando um nome for escolhido outros serão contrariados. Melhor adiar este momento.

Reajustes iguais
para todos

Sobre o reajuste das forças de segurança, o governador Ibaneis Rocha garantiu para encerrar as dúvidas: a recomposição é igual para civis e militares. A diferença ocorre porque as carreiras diferem e os salários líquidos são calculados de forma diversa. Mas para os reajustes entrarem nos contracheques falta o envio pelo presidente Bolsonaro da proposta ao Congresso
e a aprovação.

Aliados

Ao discursar ontem na troca do comando da PM, o vice-governador Paco Britto (Avante) deixou propositalmente a citação a José Roberto Arruda para o final, depois de ler todos os nomes das autoridades presentes. Disse que a intenção era prestar uma homenagem especial ao ex-governador como "amigo da PM". Paco conta com o apoio do casal Arruda para permanecer como vice na chapa de Ibaneis.

Parceria

Sobre uma possível parceria com o senador Reguffe, tendo o político como candidato a novo mandato no Senado, Leila Barros (PDT-DF) disse à coluna: "Seria um prazer. Seria maravilhoso. Seria unirmos forças num propósito maior,
que é a cidade".

PSol e Rede vão caminhar juntos

A executiva nacional do PSol aprovou nesta semana a federação com a Rede Sustentabilidade. Os dois partidos vão caminhar juntos. No DF, a pré-candidata do PSol ao governo, Keka Bagno, deve ter na chapa um nome da Rede na disputa ao Senado. Representante do DF na executiva nacional do PSol, o deputado distrital Fábio Félix votou a favor da união do partido com a Rede. "Importante para que o PSol e Rede possam ultrapassar a cláusula de barreira",
diz Félix.

Recondução à vista

O Pleno do Tribunal de Justiça do DF elegeu ontem duas listas para as vagas de juristas no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-DF). Numa das seleções, os nomes são Renato Guanabara Leal de Araújo, Rafael Oliveira de Freitas e Camila Hosken Silva. Na outra lista, estão Renato Coelho, André Puppin e Ricardo Figueiredo. Detalhe: os dois atuais desembargadores da vaga da OAB, Renato Leal e Renato Coelho, que são procuradores do DF, lideram as listas. Tiveram o mandato aprovado pelo TJDFT e têm tudo para serem reconduzidos pelo presidente
Jair Bolsonaro.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE