Violência /

Sandra Mara reage a humilhações

Pelas redes sociais, mulher de personal trainer fala pela primeira vez sobre o incidente envolvendo um homem em situação de rua, em 9 de março, durante um surto psicótico. "Estou dilacerada pelo ocorrido", desabafa

Eduardo Fernandes*
postado em 28/04/2022 00:01
 (crédito: Reprodução/Redes sociais)
(crédito: Reprodução/Redes sociais)

"Fui taxada como uma mulher qualquer, uma mulher promíscua, uma mulher com fetiches, uma mulher traidora", desabafou Sandra Mara Fernandes, companheira do personal trainer Eduardo Alves, nas redes sociais, após as notícias que circularam nacionalmente a respeito do caso envolvendo Givaldo Alves, um homem em situação de rua, em 9 de março, em Planaltina. Ontem, foi a primeira vez que ela falou sobre o ocorrido depois de um longo tratamento psiquiátrico.

No relato, Sandra afirma que somente agora está ciente da proporção que a história tomou e que foi vítima de várias acusações sem fundamento. "Estou dilacerada pelo ocorrido", diz nas redes social, destacando também o ataque sofreu de outras mulheres, que a "desejaram o pior", conta.

Na postagem, Sandra ressalta o quanto se sentiu devastada e humilhada pela sociedade, e que foi julgada sem merecer, uma vez que, estava em estado de surto psicótico. Em busca de uma solução para o caso e dos seus direitos, ela afirma que procurou a Justiça. "Nunca faltei com respeito a ninguém e não merecia ter sido tratada como uma qualquer e, principalmente, ter sido usada como objeto de prazer durante delírios e alucinações, que confundiram minha mente e me colocaram em um lugar nojento e sórdido", detalha.

Sandra agradeceu aos profissionais de saúde que a ajudaram durante o período que ficou internada, aos familiares e ao apoio do marido Eduardo.

Relembre o caso

Na noite de 9 de março, o personal trainer Eduardo Alves espancou um homem em situação de rua em Planaltina. As agressões aconteceram após o marido flagrar a esposa e Givaldo Alves tendo relações sexuais no carro dela. Câmeras de segurança registraram a briga e o ex-sem-teto saindo nu do veículo. O caso ganhou repercussão nacional. 

O marido da vítima foi o responsável por defender a companheira do julgamento moral que ela sofria, incluindo em uma postagem feita por Sandra para falar pela primeira vez sobre o que teria acontecido. Duas semanas após o caso ter sido divulgado, o personal disse que a companheira teria sofrido violência sexual e estava internada em um hospital.  "Venho informar que estão gerando conteúdo ofensivo contra a honra da minha esposa, que sofreu violência sexual aqui em Planaltina, por um morador de rua. Vejo que os fatos estão sendo transmitidos de maneira errônea", lamentou o personal em uma rede social. 

No final da publicação, ele reiterou que o principal foco da situação deveria ser a saúde da vítima e na recuperação dela, não buscando enfoque em divulgações e conteúdos equivocados e com uma espetacularização inconsequente que, à época, eram amplamente compartilhados por internautas. 

*Estagiário sob a supervisão
de Guilherme Marinho

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE