Palavra de especialista

Correio Braziliense
postado em 05/05/2022 00:01

"Temos uma das maiores fronteiras secas do mundo, quando nós falamos de proteção, cuidados e de realizar um cerco de impedir que essa substâncias cheguem ao Brasil e ao DF, consequentemente. Todo esse processo precisa de um investimento que não tem acontecido há décadas. O DF consegue atuar de forma intensa, quando falamos de crime organizado, de facções, entre outros, mas isso não tem como fazer de maneira sozinha, por mais que sejam efetivas as nossas forças de segurança, qualificadas e sem históricos constantes e sequentes de corrupção, mas sozinhos não conseguimos realizar essa proteção. É importante considerar que estamos lidando com uma esfera interestadual, então. precisamos de todos os outros estados para que nós tenhamos a mesma efetividade necessária no que se refere ao tipo de crime que precisa ser evitado. Considera-se que é uma operação multiinstitucional, então temos instituições estaduais e federais que são e que devem fazer parte desse mesmo processo e sistema para que haja resultado em relação ao crime organizado."

Leonardo Sant'Anna, especialista em
segurança pública

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE