diversão /

Dia de sol para curtir com as mães

Após dois anos de medidas restritivas mais severas, causadas pela pandemia, famílias brasilienses aproveitam o tempo firme para celebrar a data especial. A orla da Ponte JK foi um dos lugares escolhidos

Ana Luisa Araujo Ana Maria Pol
postado em 09/05/2022 00:01
Helena Alves curtiu bastante o Lago Paranoá e aproveitou para tirar foto com a sobrinha no colo -  (crédito: Ana Luisa Araujo)
Helena Alves curtiu bastante o Lago Paranoá e aproveitou para tirar foto com a sobrinha no colo - (crédito: Ana Luisa Araujo)

O céu claro e com poucas nuvens serviu como convite para os brasilienses curtirem o Dia das Mães em família. A Orla do Lago Paranoá foi o destino escolhido por parte daqueles que optaram por aproveitar o dia ao ar livre. Foi o caso de Helena Alves, mãe de Tayla, 11, e Nícolas Alves, 9, que decidiu ir até à beira do espelho d'água, próximo à Ponte Juscelino Kubitscheck, para comemorar a data. Cerca de 15 pessoas do núcleo familiar se reuniram no espaço. "Decidimos dar uma folga às mamães, e foi uma decisão bem acertada. Nadamos, brincamos, curtimos com as crianças. Momentos assim são maravilhosos", garante.

Helena foi a responsável pela ideia e, para evitar que as matriarcas tivessem trabalho na cozinha, cada uma ficou responsável por um prato. Vinagrete, feijão tropeiro e arroz fizeram parte do menu. "Sem contar o churrasquinho, né?", brinca Helena. Após dois anos de pandemia, ela explica que a redução das restrições foi a oportunidade para a família se reunir. "Ficar sem comemorar datas como o Dia das Mães em família nos fez perceber a importância desses momentos. Foi maravilhoso e, com certeza, vai ficar guardado na memória", pontua.

Enquanto alguns optam por almoços comunitários para desafogar a carga das mães, outros decidem recorrer aos restaurantes do DF. Durante a manhã de ontem, brasilienses lotaram o Pontão do Lago Sul e o movimento gerou otimismo para os donos de estabelecimentos gastronômicos. A aposentada Lúcia Moura, 66, conta que a família decidiu ir até o local, mas se surpreendeu com as filas de espera. Como todos os restaurantes estavam lotados, optaram por uma casa especializado em culinária do sudeste asiático (Tailândia, Coreia e Vietnã). "Vim celebrar a data com meus dois filhos, minha nora e minha neta, mas não esperava tanta gente. Ainda assim, no final, deu certo", diz.

Filha de Lúcia, a representante comercial Talita Moura, 37 anos, explica que a celebração em família foi uma forma de compensar a falta de presente para a mãe. "Não consegui comprar nada, mas estou muito contente em dividir esse momento com eles", garante. Marina Abreu, 34, nora de Lúcia, conta que a experiência foi especial.

"Eu já conhecia o espaço, tinha gostado, e não nos decepcionou. Apesar da loucura em conseguir um lugar para almoçarmos em família, todo o momento que passamos juntos é especial e hoje não foi diferente", completa. "Viemos celebrar esse momento junto com minha mãe", conta Felipe Moura, 34 anos. O profissional de T.I, que acaba de ser pai, levou a esposa para almoçar, mas teve a oportunidade de se encontrar com a mãe e a irmã. O jovem casal tem uma filha de cinco meses, que ajudou na hora da foto com um sorriso.

Apesar do elevado preço dos alimentos e das grandes filas de espera, a data especial foi festejada com alegria.

  •  A família da aposentada Lúcia Moura, 66, se reuniu em um restaurante no Pontão para curtir a data especial
    A família da aposentada Lúcia Moura, 66, se reuniu em um restaurante no Pontão para curtir a data especial Foto: Ana Luisa Araujo/CB/D.A Press
  • Eliana Maria da Silva, 41 anos, mãe de duas filhas, aproveitou o dia das mães na orla da Ponte JK
    Eliana Maria da Silva, 41 anos, mãe de duas filhas, aproveitou o dia das mães na orla da Ponte JK Foto: Ana Luisa Araujo
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE