queda de pinheiro/

Motivo do acidente gera controvérsia

Administração do parque alega que excesso de peso em uma rede fez com que árvore cedesse, entretanto, especialista afirma que não é possível um diagnóstico sem análise detalhada

Pablo Giovanni*
postado em 10/05/2022 00:01
 (crédito: Pablo Giovanni/CB/DA Press)
(crédito: Pablo Giovanni/CB/DA Press)

A combinação do peso excessivo de uma rede e a idade avançada da árvore podem ter ocasionado a queda do pinheiro, de aproximadamente 20 metros, que atingiu duas pessoas no último domingo, no Bosque dos Pinheiros, próximo ao estacionamento 4 do Parque da Cidade. Um adolescente de 15 anos recebeu o impacto da árvore na cabeça e chegou a ter uma parada cardiorrespiratória, enquanto outra vítima quebrou a perna. Os dois atingidos, que são familiares, já receberam alta do Hospital de Base do DF.

A reportagem do Correio esteve na tarde de ontem no local e constatou que o pinheiro que despencou foi retirado por uma empresa contratada pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) pela manhã, liberando o espaço para os frequentadores após ter sido interditado pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF).

Destino assíduo dos brasilienses, principalmente aos fins de semana, o local foi escolhido por muitas famílias para aproveitar o Dia exdas Mães, que quase virou um dia de luto. Perto do local, várias pessoas presenciaram a queda da árvore e o socorro prestado pelo Corpo de Bombeiros. Ao todo, duas viaturas e 11 militares atenderam a ocorrência.

"Um homem encostou, viu que estava bambo (o pinheiro) e acabou caindo em cima das pessoas", conta Enoá Flavina, 56, comerciante, que estava próxima ao local vendendo água de coco ao lado do seu ajudante. Ela afirmou que, nos quatro anos que atua na região, nunca havia presenciado algo do tipo ocorrer.

A conclusão de quem testemunhou é de que a árvore estava seca e podre. "Eu até trouxe uma rede, mas meu marido foi no carro levar de volta, porque fiquei com medo", conta uma pessoa que preferiu não ser identificada. "Tem um monte de árvore seca, se você não olhar para cima e colocar a rede em qualquer uma, pode cair", afirma.

No domingo, o Correio ouviu Wendell Araújo, que estava aproveitando o Dia da Mães com lado da família. O frequentador disse viu o adolescente balançando na rede, e lembrou que o incidente poderia ter acabado em tragédia caso os outros visitantes não corressem.

Procurada, a administração do parque afirmou que faz, junto a equipes da Novacap, o monitoramento das árvores do local, além de podas, cortes de galhos, remoção e substituição das árvores com risco de queda. O parque afirmou que a árvore não suportou o peso das cinco pessoas que estavam na rede instalada. A Novacap não respondeu até o fim desta reportagem sobre o que foi feito com o pinheiro que despencou. A Secretaria de Esporte e Lazer do Distrito Federal informou que a pasta não expediu nenhuma orientação sobre o uso de redes no parque.

Biólogo explica

Para o biólogo Stefano Aires, mestre em botânica e doutor em Ecologia pela Universidade de Brasília (UnB), um pinheiro em um bom estado de saúde aguentaria o peso de pessoas em cima de uma rede, dependendo da quantidade. Para constatar que a árvore poderia estar seca e podre, ele afirma que é necessário uma perícia rigorosa.

"Se a árvore estivesse realmente podre, o que poderia ser confirmado em um exame, ela oferecia risco, independente de quantas pessoas em cima da rede. Se for qualquer tipo de praga, é preciso fazer uma avaliação dos pinheiros restantes para verificar o estado de saúde de cada uma", comenta o especialista.

Ele destaca que é difícil os frequentadores do parque analisarem o estado de saúde das árvores, principalmente dos pinheiros. Segundo ele, o pinheiro já morto pode apresentar, visualmente, a mesma semelhança a um pinheiro com boa qualidade de vida. "É preciso um monitoramento desses locais, principalmente porque é um local bastante visitado", analisa.

*Estagiário sob a supervisão
de Juliana Oliveira

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE