Parque da Cidade /

Novacap retira árvores do local de acidente

Depois que um pinheiro, com cerca de 20 metros, caiu atingindo um adolescente e uma mulher, no domingo, a companhia intensifica a poda próximo ao Estacionamento 4. Ontem, trabalhadores cortaram oito exemplares

Ana Luisa Araujo Arthur de Souza
postado em 11/05/2022 00:01
 (crédito: Carlos Vieira/CB/D.A.Press)
(crédito: Carlos Vieira/CB/D.A.Press)

Há dois dias, a Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) intensifica a poda de árvores próximo ao Estacionamento 4 do Parque da Cidade Dona Sarah Kubitschek — local onde um pinheiro caiu, atingindo a cabeça de um adolescente e a perna de uma mulher, no domingo. Ontem, oito troncos foram retirados, segundo um prestador de serviço da Novacap. Ele explica que o trabalho é feito no parque todos os dias, há dois meses.

O trabalhador detalha que o corte começa pela base da árvore, depois, serram a madeira em pedaços para facilitar o transporte. A identificação de qual exemplar deve ser retirado é feita por um engenheiro ambiental da Novacap.

Tragédia

No Dia das Mães, com diversas família reunidas no Parque da Cidade, um pinheiro, de aproximadamente 20 metros, caiu e atingiu a cabeça de um adolescente, de 15 anos, e uma mulher, que sofreu fratura um uma perna. O jovem, que estava em uma rede amarrada na árvore que caiu, sofreu parada cardiorrespiratória, mas foi reanimado pela equipe do Corpo de Bombeiros. As duas vítimas foram encaminhadas para hospitais. Ambos receberam alta.

Ao Correio, o doutor em ecologia e mestre em botânica pela Universidade de Brasília (UnB) Stefano Aires explica que o projeto inicial do Distrito Federal incluía apenas o plantio de espécies nativas do cerrado. Mas, existem algumas plantas e árvores consideradas exóticas, contudo, adaptadas ao solo da capital do país.

Stefano avalia que não é possível determinar, sem uma perícia, o que levou um pinheiro no Parque da Cidade a tombar. "Nesse caso, somente um exame mais detalhado, realizado por um especialista em botânica, poderia diagnosticar o que causou a queda. "Pode ser que tenha sido um evento isolado, mas é preciso fazer um monitoramento constante, principalmente nas áreas mais habitáveis, como o próprio parque. É necessária uma prevenção contínua, poda frequente e controle de pragas. Durante as podas, inclusive, é possível verificar se a árvore está podre, por conta de doença ou envelhecimento", conclui o botânico.

Colaborou Paulo Martins*

*Estagiário sob a supervisão
de Guilherme Marinho

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE