EXECUTIVO/

Desafios na área social e econômica

Em evento com líderes e empresários do setor produtivo, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, avaliou o trabalho feito durante o mandato e adiantou que o GDF estuda aumentar o valor do Cartão Gás

Thaís Moura
postado em 19/05/2022 00:01
"Há uma vontade cada vez maior, dos empresários, de investir em nossa cidade", disse o governador Ibaneis Rocha, em evento do Grupo de Líderes Empresariais (Lide) de Brasília. - (crédito: Renato Alves/Agência Brasília)

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), fez, ontem, um balanço das principais conquistas de seu mandato e citou projetos executados nos últimos anos e outros ainda previstos para este ano, no almoço-debate promovido pelo Grupo de Líderes Empresariais (Lide) de Brasília. A reunião, cujo tema foi Responsabilidade social, ocorreu no Brasília Palace Hotel e teve a presença de secretários; dirigentes de empresas públicas e privadas, como o vice-presidente executivo do Correio, Guilherme Augusto Machado; além de parlamentares.

O anfitrião e presidente do Lide Brasília, Paulo Octávio, comentou que o encontro é importante para garantir que as ações do governo, sobretudo no período pós-pandemia, estejam alinhadas às demandas do setor produtivo. "Agora, estamos começando a reativar a economia da cidade, e temos que resgatar empregos e cidadania para as pessoas mais necessitadas, mas o desafio é muito grande, e só podemos fazer isso com parceria, com diálogo constante", ressaltou.Cidadania

Ibaneis afirmou que o principal compromisso da gestão é com a questão social. O governador destacou que, nas três secretarias que englobam a área — Desenvolvimento Social, Mulher e Justiça e Cidadania —, foram nomeados quase 1,6 mil servidores, o que contribuiu para a criação de programas como os cartões Prato Cheio e Gás. Sobre o Cartão Gás, que oferece o auxílio bimestral de R$ 100, o chefe do Executivo local adiantou que haverá uma análise jurídica e uma pesquisa de preços para verificar a possibilidade de aumentar o valor, tendo em vista que o botijão está mais caro do que o benefício oferecido. Em breve, o DF terá mais restaurantes comunitários, atualmente, são 14. "Resolvemos ampliar para 21. Temos sete programados, dois que estão em construção, e cinco cuja licitação será feita em junho", afirmou.

Saúde e educação

Ibaneis citou a construção de sete unidades de pronto atendimento (UPAs) e de dez unidades básicas de saúde (UBSs), a expansão dos hospitais regionais de Ceilândia e de Samambaia e a nomeação de 10 mil profissionais da saúde. O governador reconheceu que a saúde pública não está "na condição que merece". "Agora, estamos lançando a construção de UTIs no Hospital de Planaltina e fazendo a expansão do Hospital de Brazlândia, isso tudo no intuito de melhorar a saúde do DF", disse. No campo da educação, Ibaneis destacou a contratação de 2,8 mil educadores. "Esse número vai avançar. Hoje, assinei mais nomeações. Crescemos em 850% o número de salas de aula reformadas e ampliadas e zeramos o cadastro de professores", enumerou o governador.

Centrad

O Governo do Distrito Federal (GDF) tem trabalhado intensamente para comprar, até o fim do ano, o Centro Administrativo (Centrad), inaugurado em 2014, em Taguatinga. O complexo foi construído por meio de parceria público-privada (PPP) com o objetivo de ser a nova sede do Executivo local, mas não tinha os documentos necessários para funcionar e nunca foi ocupado. Em abril, o GDF anulou o contrato feito para a construção e manutenção do espaço, e ontem, Ibaneis afirmou que a Terracap providenciará a avaliação do imóvel para que seja feita uma proposta de compra com financiamento da Caixa Econômica Federal. "Depois vamos fazer um plano de ocupação, avaliar quais secretarias poderão funcionar no Centrad, e, a partir daí, vamos ocupar o prédio com a planta definitiva do imóvel", explicou Ibaneis.

Infraestrutura

Ibaneis comentou que a capital tem cerca de 1,6 mil obras em andamento, que geraram mais de 40 mil empregos. O governador citou a revitalização da W3 Sul e do Setor de Rádio e TV Sul, e a construção de viadutos em andamento, como os da EPIG, da ESPM, de Sobradinho, do Recanto das Emas, do Riacho Fundo e do Jardim Botânico, que segundo o chefe do Executivo local, deve ser licitado na próxima semana. "Temos também o Túnel de Taguatinga que era um clamor da cidade há muitos anos e vai beneficiar em torno de 1 milhão de pessoas que moram em Taguatinga, Ceilândia, Samambaia e Sol Nascente, gerando um novo pólo de desenvolvimento econômico e social", afirmou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE