Voluntários recebem combinação de anticorpos

postado em 26/08/2020 06:00

O laboratório farmacêutico britânico AstraZeneca, que está desenvolvendo, em parceria com a Universidade de Oxford, uma vacina contra o novo coronavírus, anunciou que iniciou os testes clínicos de um fármaco para prevenir e tratar a covid-19. Os primeiros participantes receberam uma dose do medicamento, que combina dois tipos de anticorpos, explicou a empresa, em comunicado.
A fase 1 dos testes, com 48 voluntários saudáveis do Reino Unido, com idade entre 18 e 55 anos, busca determinar se o fármaco é seguro e como o corpo humano responde a ele. O estudo é financiado pelo governo americano, por meio dos Departamentos de Defesa e de Saúde.
O grupo afirmou que os testes constituem uma etapa importante para o medicamento, que poderia ser utilizado pelas pessoas expostas ao coronavírus e pelas já infectadas. Os resultados da fase I são aguardados para antes do fim do ano e, se apresentarem dados conclusivos, a AstraZeneca iniciará os estudos de fase 2 e 3, em maior escala, para avaliar a eficácia do fármaco.

Vacina avança

Em colaboração com cientistas da universidade britânica de Oxford, a AstraZeneca também está desenvolvendo um projeto de vacina contra a covid-19, e o resultado da fase 3 dos testes deve ser publicado em setembro. O projeto desperta grandes expectativas.
De acordo com a imprensa, o presidente Donald Trump considera acelerar o processo de aprovação nos Estados Unidos.O governo britânico anunciou que o Reino Unido seria o primeiro beneficiado pela vacina, em caso de aprovação. O Brasil também testa a fórmula, em uma parceria firmada com a Fiocruz.

48
pessoas receberam a dose do medicamento desenvolvido pelo laboratório AstraZeneca. A intenção é testar a segurança do fármaco.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação