Contágio do novo coronavírus é mais longo se criança é assintomática

Estudo anterior havia apontado que crianças têm alta carga viral e podem ser mais infecciosas do que adultos

Agência Estado
postado em 02/09/2020 08:15
 (foto: JACK GUEZ / AFP)
(foto: JACK GUEZ / AFP)
Crianças infectadas podem transmitir o novo coronavírus mesmo que nunca tenham apresentado sintomas ou algum tempo depois de eles terem desaparecido. É o que sugere um estudo publicado na sexta-feira pela revista científica Jama Pediatrics.
A investigação avaliou 91 crianças em hospitais da Coreia do Sul e constatou também que a duração dos sintomas, quando ocorrem, "variou amplamente", de três dias a quase três semanas. Estudo anterior havia apontado que crianças têm alta carga viral e podem ser mais infecciosas do que adultos.
Houve ainda uma diferença considerável quanto ao tempo pelo qual as crianças continuam transmitindo o vírus, indica, na revista, um comunicado do Childrens National Hospital, de Washington. Enquanto o vírus foi detectado em uma média de cerca de duas semanas e meia em todo o grupo, um quinto dos assintomáticos e metade dos sintomáticos transmitiram por quase três semanas.
O trabalho foi realizado entre fevereiro e março, com menores de 19 anos, em 22 hospitais. Por volta de 22% dos pacientes nunca desenvolveram sintomas, e 58% foram sintomáticos já no teste inicial. (Com agências internacionais)
As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação