Efeitos

Transplantes de órgãos caem 61% durante a pandemia

Hospitais pararam de fazer os procedimentos e número de pessoas aptas a doar diminuiu

Correio Braziliense
postado em 14/09/2020 21:52 / atualizado em 14/09/2020 21:52
 (crédito: LUCAS BARIOULET / AFP)
(crédito: LUCAS BARIOULET / AFP)

A pandemia fez com que os transplantes de órgãos e tecidos tivessem uma queda de 61%, segundo a Associação Brasileira de Transplantes (ABTO). Essa diminuição levou as mortes entre pacientes cadastrados na fila de espera saltarem 44,5% de abril a junho deste ano.

Segundo a ABTO, se esse ritmo continuar, o ano pode ser finalizado com queda de 20,5% nos procedimentos.

O transplante de pulmão foi o que sofreu mais impacto. No período, houve uma redução de 85% nesse tipo de procedimento, seguido do transplante de pâncreas (65%), coração (62%), rim (50%) e fígado (39%).

Entre os motivos apontadas pelo associação para está queda a impossibilidade de usar órgãos de pacientes infectados, aumento da negação da família, a interrupção dos procedimentos nos hospitais e falta de logística, como a suspensão de voos comerciais. Pessoas que morreram com covid-19  não podem ser doadoras.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação