Pesquisa

Covid-19 pode causar síndrome misteriosa em adultos, sugere estudo

A síndrome rara é semelhante à observada em crianças, que já atingiu ao menos 197 pacientes no Brasil

Thays Martins
postado em 06/10/2020 17:58 / atualizado em 06/10/2020 17:58
 (crédito: Rovena Rosa/Agência Brasil)
(crédito: Rovena Rosa/Agência Brasil)

Os mistérios em torno da covid-19 continuam a intrigar os cientistas. Um novo estudo sugere que adultos infectados pela doença podem desenvolver uma Síndrome Inflamatória Multissistêmica semelhante à condição observada em crianças. O estudo é pequeno, mas já acende mais um alerta.

O artigo foi publicado na Morbidity and Mortality Weekly, na sexta-feira (2/10), e foi feito pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC).

Os pesquisadores encontraram 27 pacientes nos Estados Unidos e no Reino Unido, que testaram positivo para a covid-19 e apresentaram sintomas graves relacionados ao coração, sistema gastrointestinal, pele e cérebro — muitas vezes sem qualquer sinal de doença respiratória grave. Três dos pacientes morreram em decorrência da doença.

"Os resultados indicam que os pacientes adultos de todas as idades com infecção atual ou prévia por SARS-CoV-2 podem desenvolver uma síndrome hiperinflamatória semelhante à MIS-C", diz o relatório.

Em julho deste ano, um artigo publicado na revista The Lancet também trouxe um caso da síndrome em um homem adulto de Nova York. De acordo com a publicação, os sintomas apresentados eram bastante semelhantes aos registrados em crianças.

Os sintomas relatados são semelhantes ao já observados em outros estudos da síndrome inflamatória multissistêmica em crianças. O que se sabe é que embora a maioria das crianças com covid-19 só desenvolvem sintomas leves, algumas delas apresentam um "estado hiperinflamatório multissistêmico, características sobrepostas da síndrome do choque tóxico e doença atípica de Kawasaki".

A condição é rara, mas já teve diagnósticos no Brasil. De acordo com um relatório divulgado pelo Ministério da Saúde, até o fim de agosto, ao menos 197 crianças podem ter desenvolvido a síndrome, Ainda segundo a pasta, a síndrome pode ter causado a morte de pelo menos 14 pacientes com idades entre 0 e 19 anos.

Nesta segunda-feira (5/10), a Paraíba confirmou a segunda morte do estado de uma criança com a síndrome. O bebê de 30 dias de vida morreu em agosto, em João Pessoa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação